Tuesday, July 31, 2012

Músicas que falam por mim...


Oceano


Djavan
Assim
Que o dia amanheceu
Lá no mar alto da paixão,
Dava prá ver o tempo ruir
Cadê você?
Que solidão!
Esquecera de mim?
Enfim,
De tudo o que
Há na terra
Não há nada em lugar
Nenhum!
Que vá crescer
Sem você chegar
Longe de ti
Tudo parou
Ninguém sabe
O que eu sofri...
Amar é um deserto
E seus temores
Vida que vai na sela
Dessas dores
Não sabe voltar
Me dá teu calor...
Vem me fazer feliz
Porque eu te amo
Você deságua em mim
E eu oceano
E esqueço que amar
É quase uma dor...
Só sei viver
Se for por você!

Sunday, July 29, 2012

Deixe o tempo passar II

Eu escrevi este post
http://reflexoesentidas.blogspot.com.br/2010/02/deixe-o-tempo-passar.html há muito tempo atrás. Na época me apaixonei por alguém que parecia não estar sentindo o mesmo por mim. Mas, exatamente uma semana depois ficamos juntos e perdurou por quase três felizes anos. Hoje, sofro por esta mesma pessoa. E este post é exatamente o que preciso neste momento. Palavras minhas que retornam e me confortam. A diferença é que não é mais paixão e sim amor. Mas, o tempo também resolve. Afinal de contas, como eu mesma escrevi: "Para o tempo nada passa despercebido. Ele te faz esquecer quase tudo, mesmo sendo o maior amor do mundo." Então, deixe o tempo passar...



"Mais um dia em que eu não abandono os ponteiros do relógio. Horas que ferem e arrastam para a solidão. Dizem que o tempo resolve essa angústia e que também pode arrastar uma paixão. A cada página virada do calendário é uma lembrança a menos no coração. E, não adianta fotos ou vídeos porque para o tempo nada passa despercebido. Ele te faz esquecer quase tudo, mesmo sendo o maior amor do mundo.
Mas, ainda o tic-tac do relógio atormenta os meus ouvidos. E quando ouço esse zunido o meu coração bate furtivo. Escondido e oculto esperando a dor passar que somente o tempo pode apagar."
Escrito em 16 de fevereiro de 2010.

Friday, July 27, 2012

A Dor de Hoje

Roubaram-me o sorriso
E entregaram-me a tristeza
Arrancando toda essa beleza
Que tanto preciso


Hoje conheço a dor
Atormenta minha'alma
Tira minha calma
E mina todo o amor


"Porque escrevo mais quando estou triste?
Ser feliz me consumia muito.
Eu só tinha tempo para ser feliz."

Música para hoje: Mar da vida


Wednesday, July 25, 2012

Silêncio

Silêncio! Quero silêncio para minha alma... É tudo que preciso neste momento. Não posso chorar tampouco gritar. Não agora. Não neste momento. Então, quero silêncio. Cale-se pensamentos. Cale-se sentimentos. Cale-se todo o resto. Silêncio! chiiiiiiii. 

Não quero me ouvir! Farei silêncio para não te incomodar. Nem uma voz, nem um sussurro... Nenhuma palavra escrita ou falada. Porque as escritas também falam. Às vezes até gritam! 
Calei-me

Amar é assim...


Resistência


Às vezes me espanto e me pergunto como pudemos a tal ponto mergulhar naquilo que estava acontecendo, sem a menor tentativa de resistência. 
Caio Fernando Abreu, no conto Do outro lado da tarde. In: O ovo apunhalado, ed. L&PM Pocket.
E ficou aquele sentimento do que poderia ter sido... De como nós poderíamos ser... De um futuro que não existe mais... De uma ideia que foi morta... De sentimentos massacrados... De lembranças que poderiam ter sido criadas para serem lembradas... Do seu amor que não deseja mais existir... 

Da falta de resistência... Da desistência... Da delinquência... Da incoerência... Da negligência...

Monday, July 09, 2012

Nada mais (Gal Costa)

Sinto quando alguém
Te interessa
Mesmo quando finges
Que não vês
Se desapareces
Numa festa
Eu já sei...
Não te quero ouvir
Falar do tempo
Se eu só pergunto
Onde vais...
Mas se quiser saber
Se voltas logo
You Don't Know
Nada mais...
Vão dizer que são tolices
Que podemos ser felizes
Mas tudo que eu sei
Não dá prá disfarçar
Dessa vez
Doeu demais!
Amanhã será
Jamais!...
Onde a gente vai
Tem uns amigos
Que você precisa visitar
Se não sou feliz
São só ciúmes
Nada mais...
Mais de uma vez
Flagrei seus lábios
Na intenção do nome
De outro alguém
Mas se quiser saber
O que eles calam
Você diz: Tudo bem!...
Vão dizer que são tolices
Que podemos ser felizes
Mas tudo que eu sei
Não dá prá disfarçar
Dessa vez
Doeu demais!
Amanhã será
Jamais!
Jamais!...

Sunday, July 08, 2012

Reflexões de Clarice Lispector

"Que minha solidão me sirva de companhia.
que eu tenha a coragem de me enfrentar
que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir
como se estivesse plena de tudo."
... Clarice Lispector

Solidão

Solidão, você me quer?
Eu já avistei você. Sempre chega de mansinho só para a gente não perceber. Mas, eu já te conheço. Você não é uma desconhecida para mim. Já te vi várias vezes na minha vida. Lembro até da primeira vez que nos encontramos. Você lembra? Eu nunca vou me esquecer. Agora você quer dizer "cheguei".  Eu entendo. Mas, dessa vez eu tentei não abrir a porta para você e mesmo assim você conseguiu entrar. Acho que você já tem a chave do meu coração. Talvez eu tenha entregue a você e nem percebi.
E agora, o que você quer de mim? Estou fraca e não consigo fingir que você não está aqui.
Será que você vai morar por aqui um tempo? Eu queria gritar com você e expulsá-la com todas as minhas forças. Mas, não estou conseguindo. Então, converse comigo hoje. Chore comigo hoje.

Sim, eu sei... Tenho uma capacidade muito grande de abraçar a solidão. Mas, o que eu posso fazer?
Ela costuma gostar de mim e eu dela. E quando eu e a solidão nos abraçamos não damos espaço para mais ninguém...