Sunday, May 25, 2008

Magia do Beijo

Estudos recentes afirmam: Beijos podem enviar informações significativas sobre as condições presentes e futuras de uma relação amorosa. Muitos psicólogos garantem que, se o primeiro beijo não for considerado agradável e prazeroso para os dois envolvidos, dificilmente o relacionamento evoluirá. Alguns cientistas acreditam que a união dos lábios evoluiu porque facilita a seleção de parceiros. “ O beijo envolve uma troca bem complicada de informações – olfativa, tátil e ajustes de postura”. Beijar pode revelar até que ponto o outro está disposto a se comprometer na relação. Esse comprometimento significa, em alguns casos, a predisposição para estabelecer parcerias, aprofundar o grau de confiança e até mesmo a intenção de criar filhos – uma questão crucial para a sobrevivência da espécie.

(Revista Mente Cérebro. Scientific American, mês de maio)

Matéria muito interessante ao meu ver! Uma visão darwiniana sobre o beijo. Afinal de contas, tuuuudo é seleção natural! Depois dessa matéria será impossível não depositar uma certa importância a essa “peça” do quebra cabeça de uma relação amorosa. E, ultimamente que eu me lembre, não beijei ninguém que tenha me enviado informações químicas com a mensagem: “Estou disposto a me comprometer”. Interessante, não? E, tem mais:

O ósculo, termo científico para beijo, ativa no organismo uma sucessão de mensagens químicas e aciona sofisticados mecanismos neurológicos inconsciente, permitindo às pessoas determinar subjetivamente até que grau elas são geneticamente incompatíveis.

Ósculo? Ai, ai... perde todo o romantismo. Já pensou: - Amor, vamos nos oscular? E, seguido de... estou louca para copular com você mais tarde! Ui, eu sou bióloga, mas isso é pegar pesado!

Entretanto, gostei desse “lance” de determinar até que grau somos geneticamente incompatíveis. Frizem bem: incompatíveis, ou seja, é muito mais fácil ser incompatível do que compatível. Bom, as minhas experiências em ósculos, ou foram incompatíveis ou não cheguei a conclusão alguma. Será que vou ter que beijar novamente para confirmar?


Mensageiros químicos silenciosos chamados feromônios podem ter acelerado a evolução do beijo “íntimo”. Muitos animais e plantas usam os feromônios para se comunicar com outros membros da mesma espécie. Se os seres humanos detectam feromônios ou não, é assunto controverso. No entanto, a bióloga Sarah Wood, sugere que podemos captar feromônios pelo sistema olfativo. Segundo ela, a comunicação química inconsciente explicaria descobertas curiosas, como a atração por mulheres pelo cheiro da camiseta usada por homens cujo sistema imunológico é geneticamente compatível com o delas.


[Pausa para um comentário] Cheiro da camiseta usada por homens? Adoooooro esse cheiro e não precisamos ser geneticamente compatíveis! Por favor, me dêem outra dica para encontrar o meu parceiro geneticamente compatível porque essa para mim não adianta muito não!

Concluindo,


Os lábios humanos possuem a camada mais fina da pele do corpo humano e estão entre as áreas corporais em que se encontram as maiores concentrações de receptores e transmissores sensoriais. Quando beijamos, as células da língua e de outras regiões da boca disparam mensagens para o cérebro e para o corpo, provocando emoções e reações físicas intensas. Beijar desencadeia um coquetel de substâncias químicas que governam o stress, a motivação, as relações sociais e a estimulação sexual. Na medida em que o beijo está ligado à afetividade, pode aumentar a produção de substâncias químicas do cérebro associadas ao prazer, à euforia e à motivação para estabelecer ligações específicas.


Resumindo a historinha científica... Beijar é muito bom!

1 comment:

Michelle Trindade said...

Ahaha hahah ahahha.. muito boa essa matéria, e os seus comentários melhores ainda... a parada do ósculo e depois copular foi bizarra... só biólogos mesmo pra pensar assim.... mas é engraçado e ao mesmo tempo sério. Afinal de contas beijar é um assunto importante e precisa-se de um pós-doutorado para explicar todas as sensações que ele faz nas pessoas, mas a maioria não tá nem aí pra isso e quer mais é beijar mooooooooiiiiiiitoooooo....