Thursday, December 27, 2007

Medo

Medo... Medo do tempo.
Esse tempo que nos distancia cada vez mais. O espaço de um minuto a outro...revelando pouco a pouco o esquecimento.
Tenho medo do momento em que a minha mente não conseguir mais traçar as linhas de seu rosto, de suas mãos e olhos. Quando se tornar impossível distinguir o tom de sua voz ou o barulho de sua risada. O instante em que sua imagem estiver embaçada em minhas poucas lembranças dos breves momentos em que passei contigo nessa vida. Tenho medo de não lembrar do seu cheiro e de não tê-lo impregnado em mim. Tenho medo quando procurar me recordar do seu jeito de olhar, caminhar, falar, chamar pelo meu nome e não encontrar mais em minhas lembranças. Vagas memórias assombram a minha mente e, tudo por culpa do tempo. Esse tempo que não pára e não volta!
Tenho medo da minha memória. Esta que não guarda você.
Tenho medo do tempo. Este que rouba você de mim.
A cada segundo, é um segundo a menos de você em minhas recordações...

Saturday, December 22, 2007

A Arte...

Monday, December 10, 2007

Sobre Livros XVIII

O último "Sobre Livros" que escrevi comentei que tive a intuição de que a história desse livro seria bela. Na verdade, ela não foi nem bela nem feia, simplesmente, não foi nada. Achei que eu desfrutaria de sua leitura novamente, mas isso não ocorreu. Li o primeiro capítulo, na qual eu gostei muito e, por isso desejei ler os próximos capítulos. Cheguei a comentar também que tive a impressão de que esse livro me surpreenderia muito, realmente isso aconteceu, pois quando eu abri na página do capítulo dois haviam páginas em branco.....várias....cerca de trinta páginas...somente com a devida enumeração. Achei estranho! Apesar de eu ser o tipo de leitora que não continua tentando ler um livro que não está "lá essas coisas", eu continuei passando folha por folha... Deve ser porque nesse caso a história não estava boa nem ruim, só não acontecia nada, somente página e páginas em branco. Até que abri o terceiro capítulo! E, o pior é que estava escrito: CAPÍTULO III. Mais páginas em branco... Que decepção... Não quero dar "aquela espiada" no final do livro para ver se tem algo escrito. Vou deixar para lá... Sabe aqueles livros que você começa a ler, esquece, e deixa guardado na estante pegando poeira? Pois é! Acho que é o destino deste! Não sei qual foi a intenção do autor em deixar várias páginas em branco... Talvez tenha algum significado, ou apenas acabou o interesse e as idéias do autor. Quem vai saber???
Perdi meu tempo achando que esse autor teria escrito um bom livro... E, eu nem nunca vou saber como ele termina...

Saturday, December 08, 2007

Eu Interior

Alma viaja,
corpo não interage

Realidades inexistentes,
Fantasias sempre presentes

Emoções sentidas,
Imagens nunca vistas

A esperança floresce,
Onde a morte carece

Saturday, December 01, 2007

Uns Versos


Adriana Calcanhoto

Composição: Adriana Calcanhoto


Sou sua noite, sou seu quarto
Se você quiser dormir
Eu me despeço
Eu em pedaços
Como um silêncio ao contrário
Enquanto espero
Escrevo uns versos
Depois rasgo

Sou seu fado, sou seu bardo
Se você quiser ouvir
O seu eunuco, o seu soprano
Um seu arauto
Eu sou o sol da sua noite em claro,
Um rádio
Eu sou pelo avesso sua pele
O seu casaco

Se você vai sair
O seu asfalto
Se você vai sair
Eu chovo
Sobre o seu cabelo pelo seu itinerário
Sou eu o seu paradeiro
Em uns versos que eu escrevo
Depois rasgo