Sunday, April 29, 2007

Nuovo Cinema Paradiso



Mesmo que alguém esteja com o coração endurecido
Se comoverá com essas cenas
Mesmo que os olhos já estiverem secos
porque as lágrimas não correm mais,
Pelo menos, um pouco de brilho terás nos olhos.
Com tantos beijos assim,
Não tem como deixar de desejá-los...
E, ainda acompanhado de uma belíssima música de Ennio Morricone...

Saturday, April 28, 2007

Flor da Pele

Zeca Baleiro

Ando tão à flor da pele,
Qualquer beijo de novela me faz chorar
Ando tão à flor da pele,
Que teu olhar "flor na janela" me faz morrer
Ando tão à flor da pele,
Que meu desejo se confunde com a vontade de nem sei
Ando tão à flor da pele,
Que a minha pele tem o fogo do juízo final


Um barco sem porto
Sem rumo, sem vela
Cavalo sem sela
Um bicho solto
Um cão sem dono
Um menino, um bandido
Às vezes me preservo
Noutras suicido


Oh, sim, eu estou tão cansado
Mas não pra dizer
Que não acredito mais em você
Eu não preciso de muito dinheiro
Graças a Deus
Mas vou tomar aquele velho navio
Aquele velho navio

Thursday, April 26, 2007

Sobre Livros IX

Bom, hoje definitivamente me revoltei! Joguei aquele último livro que li pela janela! Já que eu sou muito temperamental, então ninguém precisa se admirar com tal atitude minha. E, como estou no 14º andar (uma altura considerável) , acredito que mesmo que eu me arrependa de tal atitude, o livro não estará mais em boas condições de leitura, então acho que "já era!". Nem colocando durex e colando as folhas, não tem como reparar mais o livro.
A culpa é minha! Eu sou uma completa idiota porque tirei o livro de onde havia escondido de mim mesma, na primeira gaveta de minha cômoda e embaixo das roupas, e deixei à vista! Daí, olhava a capa, desfoliava, lia algumas páginas soltas, enfim, alguns momentos nostálgicos. Que ridícula a minha atitude!

A verdade é que através da internet, tirei algumas conclusões horríveis sobre esse livro e, como sou altamente impulsiva, justifica a minha atitude de nem pensar duas vezes e "tacar" o livro janela abaixo! E, ainda com direitos a xingamentos!
Enfim... ainda não fui lá embaixo ver se sobrou alguma coisa. Acho que não tenho coragem! Posso ter um momento de loucura e querer repará-lo. Como eu me conheço bem... prefiro nem olhar...

Encontro das Águas

Composição: Jorge Vercilo/ Jota Maranhão

Sem querer te perdi tentando te encontrar
Por te amar demais sofri, amor
Me senti traído e traidor

Fui cruel sem saber que entre o bem e o mal
Deus criou um laço forte, um nó
E quem viverá um lado só ?

A paixão veio assim afluente sem fim
Rio que não deságua
Aprendi com a dor nada mais é o amor
Que o encontro das águas

Esse amor
Hoje vai pra nunca mais voltar
Como faz o velho pescador
Quando sabe que é a vez do mar

Qual de nós
Foi buscar o que já viu partir,
Quis gritar, mas segurou a voz,
Quis chorar, mas conseguiu sorrir ?

Quem eu sou
Pra querer
Entender
O amor?