Tuesday, May 30, 2006

Expectativas

Aprendi que não posso criar esperanças de nada. Somente nos decepcionamos quando criamos tais esperanças. Ter esse sentimento de esperança é muito belo, mas posso afirmar com certeza que adquirir decepções em conseqüência dessas esperanças é horrível. Não vale à pena. Assumo que o problema sou eu, por ser uma pessoa muito ansiosa com a vida, acabo exigindo muito de mim e dos outros. Mas, pude refletir com uma frase de Dalai Lama:

“A humanidade pensa ansiosamente no futuro, esquece do presente de tal forma que acaba por não viver nem o presente nem o futuro. E vive como se nunca fosse morrer... e morre como nunca tivesse vivido”.

Quero viver e construir o meu presente, sem me preocupar com problemas, sem criar expectativas de nada nem de ninguém. Para somente assim, não precisar me decepcionar nunca mais.

Sunday, May 28, 2006

I Can

Helloween
Composição: Andy Deris/Michael Weikath

May I take you higher
Feed well your desire
We won't be forgotten.
Foes left slain and rotten

I will have my way as once before
Others stand in awe, can't scorn at all

I can, I can, I can make it all again
I don't wanna lose, don't wanna go down
I can, I can, I can make the call again
Fulfill my dreams until I'm cured
I can!

Will I be the flyer
Keep you more inspired
Some will leave here shattered
Wish us tarred and feathered

Show me anyone who doubts our ways
I will laugh out loud and I will say

I can, I can, I can make it all again
I don't wanna lose, don't wanna get drowned
I can, I can, I can heed the call again
Can attain ev'rything to leave you sure

I can!I can! I... I... I... I can!

Solo: Michael

Leave me waiting years or strike today
Trample down the walls and pave your way

I can, I can, I can make it all again
I don't wanna lose, don't wanna go down
I can, I can, I can make the call again
Fulfill my dreams until I'm cured
I can!

I can! I... I... I can!

Solidão

Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo..... isto é carência.
Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar... isto é saudade.
Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes, para realinhar os pensamentos... isto é equilíbrio.
Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente para que revejamos a nossa vida... isto é um princípio da natureza.
Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado... isto é circunstância.
Solidão é muito mais do que isto. Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma.

Chico Buarque

Saturday, May 27, 2006

Conhece-te a ti mesmo

Qual o meio mais eficaz para nos melhorarmos nesta vida e resistirmos às solicitações do mal?
R: Um sábio da antiguidade vos disse: Conhece-te a ti mesmo. (O Livro dos Espíritos)

Eis aqui, um assunto comentado na palestra de hoje, no "Centro Espírita Amor, Caridade e Esperança". Uma frase bastante reflexiva...

Será que nos conhecemos? Acredito que não. Faça uma reflexão todos os dias. Procure conhecer-te cada vez mais. Com isso, poderás perceber todas as suas virtudes e defeitos. E procurará resistir as suas más inclinações.

Um outro assunto que me chamou a atenção foi a seguinte pergunta feita pelo palestrante: O que te faz acreditar em Deus?

Nossa! que pergunta difícil. Pensei em várias respostas... É engraçado como nós pensamos em respostas complicadas e muito bem formuladas, o que na verdade deveria ser uma resposta bem simples. Em seguida, me veio à mente... Porque faço parte dele, afinal sou filha do Criador!!!

Tuesday, May 23, 2006

Sobre Livros III

Terminei a leitura do livro que possui uma história triste e sem figuras, mas antes de declarar o ponto final deste livro, quero explicitar alguns acontecimentos e sentimentos que tive no decorrer da leitura.
Com sinceridade, digo que nunca houve interesse de minha parte em ler este livro por completo, mas sim apenas ler um pouco do seu prefácio. Mas sem perceber, comecei lendo a introdução, e pensei... Vou ler só algumas páginas, nada demais. E quando me dei conta, já havia lido umas sessenta páginas e estava completamente envolvida na história. Com isso, senti dentro mim, um certo interesse em continuar lendo essa história. Mas, era como se a minha alma já soubesse que essa história não era para ser lida. Mas a curiosidade, aliada ao sentimento de prazer e admiração, não me permitia o rompimento da leitura e, eu lia cada vez mais! Esses sentimentos eram tão intensos que eu não pude enxergar que esse romance, não acabaria com a frase “E viveram felizes para sempre”. Mesmo assim, continuei lendo e, como todo mundo sabe, não dá para você ler dois livros ao mesmo tempo, sendo que, esses sentimentos tão sinceros que eu sentia ao ler este livro, me fizeram esquecer o outro livro e, sem eu perceber, já o havia abandonado. Percebendo tal situação decidi não ler mais este outro livro e, entregá-lo à biblioteca. Depois de tal ato, decidi me dedicar ainda mais à leitura, com isso, os meus sentimentos se multiplicavam a cada palavra. Lembro-me que eu sonhava com esse romance todos os dias e, ficava ansiosa para chegar o horário da leitura.
Enquanto estava lendo este novo livro, confesso que o meu desejo era que este não acabasse nunca, eu queria que o livro fosse daqueles bem “grossos” com muitas páginas para poder eu viver ao máximo o sentimento que cada frase proporcionava. Eu queria que fosse uma coleção com vários exemplares, como aquele livro “Operação Cavalo de Tróia”, que é bem extenso, com aquelas notas de rodapé enormes, bem complicados de entender, e ainda são vários...
Mas não foi isso que ocorreu! No começo dessa trama, eu não sei explicar ao certo se, esses capítulos iniciais estavam muito bons, ou se foram os meus olhos de admiração que os tornaram bons, acredito que nunca saberei responder. Na verdade, o que mudou completamente essa admiração e todos os sentimentos envolvidos ao ler o livro, foi um capítulo único, por volta de um terço do livro, na qual conseguiu reverter pouco a pouco todos esses sentimentos, persistindo até o final da trama. Eu posso até lembrar do título desse capítulo, se chamava...“A decepção”, recordo-me que caí em prantos ao ler este capítulo, apesar de ter chorado também nos outros subseqüentes, mas este fora o pior. Quando eu li esse capítulo, tudo mudou, não sentia mais ânimo em ler o livro, e todo o prazer envolvido em ler este conto foi desaparecendo. Eu comecei a querer que ele acabasse logo e isso me deixou muito angustiada e aflita. Eu sei que vocês podem estar se perguntando: Por que você insistiu em terminar o livro? Eu poderia ter fechado o livro e devolvido à biblioteca, mesmo sem ter lido tudo, como eu fiz com o outro, mas percebi que isso não dá. Eu até tentei fazer isso, mas você fica com aquela história na cabeça achando que o final poderia acabar bem, o que não é verdade. É como se o tempo parasse para você e, você ficasse imaginando o final da história, isso não dá certo! Preferi ser realista e ler até o último ponto final. Tentei acelerar a leitura, mas eu sabia que só o tempo acabaria com esta história. Essa leitura teve uns nove capítulos, acho que teve bastante capítulo, já estava na hora de terminá-lo, eu não suportava mais. Sua história se tornou chata, cansativa e, a minha admiração fora embora pouco a pouco...
Não vou negar que, mesmo quando sua história estava horrível, havia momentos em que eu acreditava que tudo melhoraria, que todo o amor se revelaria no final, surpreendendo todos os leitores assíduos desacreditados. Realmente o meu maior desejo fora este. Foi tudo uma grande ilusão. Não me culpem por isso, afinal de contas, todo mundo quer um final feliz. Houve momentos em que eu desejei escrever esta história! Cheguei a ponto de escrever tal coisa:

Mesmo que você me insulte com as suas palavras,
Ainda assim, quero ouvir sua voz

Mesmo que você não queira a minha presença,
Ainda assim, me sinto feliz ao seu lado

Mesmo que você me odeie,
Ainda assim, quero amá-lo

Mesmo que você não me queira,
Ainda assim, quero esperar por você...

Só para demonstrar tal insanidade da minha parte, mas como eu não era a autora do livro, então...

Apesar de eu ter terminado o livro, mas, como disse anteriormente em Sobre Livros II, ainda possuo algumas dúvidas em relação ao comportamento de um dos protagonistas da história. Achei que até ao final do livro, estaria escrito com letras bem grandes, cessando a minha dúvida. Mas infelizmente, isso não ocorreu, pelo menos, não explicitamente, talvez tenha passado despercebido pela minha leitura desatenta, mas não estou com ânimo para rever essas páginas e analisar esta situação.
Enfim, com a realidade aos meus olhos, posso enxergar com clareza, toda a história que foi lida com tanta tristeza sentida a cada página virada. Mas, apesar de toda a dor que tal leitura me causou, consegui ler até o último ponto final. E ainda pude caminhar até a biblioteca e entregá-lo, apesar de ainda estar pagando pelo seu preço alto. Por causa disso tudo, eu não quero ler este livro nem ao menos ver a sua capa, nunca mais.

Sunday, May 21, 2006

Olhe para as águas

Você poderá ver o seu reflexo ou as profundezas do oceano. A escolha é sua.

Wednesday, May 17, 2006

Futilidades do ser humano

Será que a aparência externa de uma pessoa é tão importante a ponto de decidir um relacionamento amoroso?Para muitas pessoas, a resposta é sim. Na verdade, estatisticamente comprovado, para a grande maioria isso é um ponto decisivo na escolha de um futuro relacionamento, apesar de ser difícil para mim, compreender tal coisa. Aliás, para mim, é difícil compreender várias coisas que para os outros é “super natural”. Se pararmos para observar tal fato, veremos que não existe (ou muuuuuito difícil) uma pessoa extremamente linda se relacionar com uma pessoa extremamente feia! Geralmente ocorre um equilíbrio entre as partes. É impressionante! Apesar de, não concordar com tais atitudes, tenho que admitir que isso ocorre com muita freqüência. O mesmo se aplica para diferenças em classes sociais, ou mesmo intelectuais. Eu não entendo...O que você ganha se interessando apenas por mulheres ou homens bonitos??? Por que o ser humano não consegue enxergar o interior de cada pessoa? Eu sei que muitos devem estar pensando, que esse papo de “enxergar o interior das pessoas” é tudo uma grande palhaçada! Mas talvez essa seja a resposta para a depressão que tanto afeta a maioria das pessoas, na qual nunca conseguem se sentir realizadas. Podem ter dinheiro, realização profissional, família entre outros, mas nada disso basta. Porque não conseguem enxergar o interior de nada na vida. Sempre uma máscara de aparências.
Já refleti por horas tentando chegar a uma conclusão plausível sobre esse assunto, mas ainda está sendo difícil analisar os porquês. Mas possuo alguns questionamentos acerca do assunto: Será que as pessoas procuram sempre outras pessoas bonitas por causa de “sexo” ou somente pelo simples fato de mostrar aos outros o seu parceiro? Acho que, se for essa a resposta seria a coisa mais estúpida que alguém possa pensar. Se alguém souber uma outra resposta, por favor, me digam, porque está muito difícil tal compreensão.Pior é quando a pessoa cria um “tipo padrão” para a sua escolha, isso sim, é o auge da estupidez. Eu odeio quando alguém têm a capacidade de dizer que “fulano não faz o meu tipo”, é ridículo!!! Mesmo que seja um biótipo psicológico! Tudo bem, você ter afinidades psicológicas, mas deixar de se envolver com alguém porque simplesmente não faz o “meu tipo”, para mim, é o fim!Por causa disso, a pessoa parece que permanece numa espécie de “trava”! Será que as pessoas são tão superficiais assim? Tão fúteis...

“Gosto apenas de homens louros, altos, malhados, bronzeados, de olhos azuis, blá, blá, blá...” Atenção, frizem bem o malhado, não serve aquele magrelo, que usa óculos, que nunca viu um sol na vida, anda meio desarrumado e têm cara de esquisito! Isso não vale! Esses eu não quero. Por favor, quero aqueles de novela, ou capa de revista da Caras! Ah! se tiver dinheiro, melhor ainda, e carro de preferência. Eu preciso sair, e ele tem que me levar e pagar os meus gastos. Acho que se for burro, eu até agüento! É só não abrir a boca e mostrar seu sorriso e sua carteira linda...

Ai meu Deus...Esse mundo está completamente perdido!

Sunday, May 14, 2006

Faça uma redação sobre as mães

Lúcia é o nome dela, Lúcia é o nome da minha mãe,
Não sei o que ela gosta de fazer, mas sei que gosta de amar,
Não gosta de ficar triste, de quando se lembra de uma coisa triste, e quando se lembra de uma coisa triste, é sempre triste,
Fica alegre quando sabe que têm amor, e quando têm amor, é sempre um grande amor.
Ela fica triste quando me vê triste, e quando me vê triste, é sempre um grande motivo.
Uma coisa eu sei que vou dar, vou dar amor, e para demonstrar esse amor, vou dar uma rosa, e dentro dessa rosa, terá o meu amor.
Para você mamãe.
*******************************************
Este texto eu escrevi quando era uma criança, foi pedido no colégio para fazer uma redação para o dia das mães, junto deste texto eu desenhei a minha mãe, um coração e uma rosa, e fiz uma rosa de papel. E entreguei à ela. Hoje me recordo dos doces momentos vividos ao seu lado. Falecida desde março de 1995.

Friday, May 12, 2006

Somente para mim

"Aprendi que não importa o quanto certas coisas sejam importantes para mim, tem gente que não dá a mínima e eu jamais conseguirei convencê-las."
William Shakespeare


Uma amiga me enviou um e-mail bem interessante, com algumas frases de William Shakespeare, e uma das frases que eu me identifiquei foi esta frase acima, por ser recente alguns acontecimentos que me ocorreram por parte de críticas de algumas pessoas perante a minha conduta. Enfim, acredito que deve ser muito difícil para o outro conviver com uma pessoa diferente, eu não sei, até porque a diferente nesse caso sou eu. Não sei o porquê que algumas pessoas se incomodam tanto com as minhas filosofias de vida, deve atrapalhar muito, não sei! É difícil ser diferente num mundo onde existem tantas pessoas preconceituosas e hipócritas.
Eu nunca quis que ninguém acreditasse ou seguisse algo que eu acredito, muito pelo contrário, eu nem tenho o costume de divulgar o que eu penso ou o que eu sigo! Se quiser me criticar, tudo bem, mas não fale isso para mim, eu realmente não quero ouvir críticas das “coisas que são importantes para mim”, eu confesso que não tenho mais paciência para tentar explicar ou convencer alguém sobre isso ou aquilo que eu acredito!!!
Eu realmente não consigo entender por que as pessoas têm o prazer em “zombar” você! Deve ser engraçado. A impressão que eu tenho, é que na verdade o ser humano não cresce, continua com as mesmas infantilidades que tinha quando criança ao “zombar” do colega diferente. É muita imaturidade por parte dessas pessoas. Não estou pedindo para ninguém me aceitar, apenas peço respeito! Se alguém acha que as minhas filosofias de vida são todas uma “palhaçada”, tudo bem, eu aceito a opinião, até porque como dizia aquela frase tão linda de Voltaire: “Posso não acreditar em uma palavra do que dizes, mas lutarei com todas as minhas forças pelo direito que você tem de dizê-las”, ou seja, pode pensar o que quiseres de mim, mas me respeite acima de tudo!
Além disso, se tem gente que não dá a mínima para as coisas que são importantes para mim, sinceramente, eu não me importo nem um pouco! E tão pouco, tentarei convencê-los a acreditar! Até porque essas coisas são importantes PARA MIM, e mais ninguém.
E mais, se eu em algum momento, por algum motivo, não importa qual, eu deixar de acreditar em alguma coisa que outrora fora importante para mim, é problema meu!!! São meus ideais, ou seja, eu construo e destruo quando eu quiser!!!
E para completar com mais uma frase de William Shakespeare:

“Aprendi que posso passar anos construindo uma verdade e destruí-la em apenas alguns segundos.”

Thursday, May 11, 2006

...

Devolva-me! Obrigada, melhor assim. E agora, não vou entregá-lo a ninguém, nunca mais...

Tuesday, May 09, 2006

Apenas diferente

Conheci uma garota há um tempo atrás...


Ela não era uma “garota qualquer”, não digo que era especial, mas sim diferente das outras meninas de sua idade. Apesar de ser bem jovem, ela sabia que era diferente e que, não possuía uma vida igual às outras. Não era uma garota que possuía o tipo de “vida fácil”. Seus sorrisos e aflições diferiam dos outros, e ela sabia disso, apesar de não compreender ao certo o porquê.

Enxergava o mundo de uma forma diferenciada, distante... Sempre analisando a tudo e a todos, contudo não falava o que pensava a ninguém, suas reflexões se resumiam apenas ao seu pequeno mundo.

Sentia-se acolhida e protegida do mundo à sua volta, todavia tinha a impressão de que isso acabaria. E acabou. Isso marcou a sua mente para sempre e, apesar do tempo, a cicatriz da dor sempre esteve lá.


Hoje, já é uma mulher! Ainda assim, continua a ser diferente das outras mulheres. Dizem por aí, que ela é persistente, que mesmo diante das aflições continua a acreditar que, no final, pode dar certo! E mesmo que tudo esteja contra, ela insiste e principalmente, o que mais caracteriza a sua personalidade, é que ela tenta, ao menos uma vez.

Já não está mais acolhida nem protegida, está sozinha no mundo, e sabe disso. Mesmo assim, ela insiste em viver, e não deixa de acreditar que vai melhorar. Ela ainda é capaz de fechar os olhos e imaginar...Todo o seu mundo colorido e, neste momento todos os seus pensamentos vagueiam diante de suas ilusões. Adormece acreditando em doces ilusões...


Ela não é uma mulher qualquer, que você ouve falar por aí! E ela sabe disso.


Em alguns momentos ela me decepciona quando se deprime, mas também me surpreende com a sua persistência. Às vezes, me admiro e me questiono de onde ela consegue arrancar tanta coragem. Eu acredito que essa coragem se dá pela vontade insistente de ser feliz. Ao menos um pouco feliz.

Enquanto isso, sozinha vai caminhado pelo mundo, mesmo que este ainda lhe pareça distante aos seus olhos.

É uma mulher interessante de se conhecer, sempre têm uma idéia, pensamento ou filosofia a acrescentar em sua própria vida, contudo só será interessante conhecê-la se, juntos mergulhar nas profundezas de seus pensamentos e imaginações... Imagine também, pense. A cada dia eu a conheço um pouco mais.

Monday, May 08, 2006

Hollow Years

Dream Theater

He's just the kind of man
You hear about
Who leaves his family for
An easy out
They never saw the signs
He never said a word
He couldn't take another day

Carry me to the shoreline
Bury me in the sand
Walk me across the water
And maybe you'll understand

Once the stone
You're crawling under
Is lifted off your shoulders
Once the cloud that's raining
Over your head disappears
The noise that you'll hear
Is the crashing down of hollow years

She's not the kind of girl
You hear about
She'll never want another
She'll never be without
She'll give you all the signs
She'll tell you everything
Then turn around and walk away

Carry me to the shoreline
Bury me in the sand
(Into the waves)
Walk me across the water
And maybe you'll understand

Once the stone
You're crawling under
(Once the stone)
Is lifted off your shoulders
Once the cloud that's raining
Over your head disappears
The noise that you'll hear
Is the crashing down of hollow years

Carry me to the shoreline
Bury me in the sand
(Into the waves)
Walk me across the water
And maybe you'll understand

Once the stone
You're crawling under
Is lifted off your shoulders
Once the cloud that's raining
Over your head disappears
The noise that you'll hear
Is the crashing down of hollow years

Once the stone
You're crawling under
Once the stone
You're crawling under
(The sound you'll hear,)
Once the stone
(the crashing)
You're crawling under
(down of hollow years)
Once the stone
You're crawling under
Once the stone
You're crawling under
Once the stone
You're crawling under
(The sound you'll hear, the crashing down of hollow years)

************************************************************
Postei essa música porque simplesmente eu a acho linda mesmo!!!

Saturday, May 06, 2006

Histórias... contadas em desenhos


Esse post é sobre um Anime, Inuyasha. Especificamente me interesso muito sobre a relação do Inuyasha com a Kagome (a que está na foto). Ele é rabugento, grosso, muito estúpido, mal humorado, porém muito sincero. Mesmo com a sua sinceridade ele têm dificuldades de demonstrar seus sentimentos, então ele sempre trata a Kagome mal apesar de se preocupar demais com ela e, pelo que parece no anime também a ama. A Kagome é delicada e educada, mas por causa das grosserias do Inu ela também acaba por tratrá-lo mal, por conta disso, os dois passam o desenho todo brigando! Ele faz algumas grosserias com Kagome e ela fica com raiva, faz muitas ceninhas mas, não percebe que está sendo infantil. Mas os dois são muitos orgulhosos, dificilmente dão o braço a torcer! Em alguns episódios um ou outro pedem desculpas pelas grosserias que fizeram, mas é difícil, só quando a briga foi feia! Eu acho bonitinho quando ele fica vermelho depois de ter feito alguma gentileza para ela, os dois ficam tão sem graça, pena que pára por aí! O Inu nunca teve coragem de dar-lhe um beijo e dizer que a ama. E ela sempre espera isso, mas também não tem coragem.
Mas a verdade é que, eles acabaram se acostumando a dizer palavras duras um ao outro, mas nenhum dos dois têm coragem de dizer: "Eu te amo".

Vou postar uma música (a versão em português) do Anime. Escolhi essa música porque se refere a história de Amor dos dois e, que na verdade (quem viu o anime sabe), é de várias vidas! Vida após vida, juntos.

Canção da Verdade
A luz desse amor
É um sol que arde
Tinge o presente
Com os tons de um passado
Invade a minha mente
Com cores e paz
Me faz cruzar
Espaço e tempo
E a verdade enxergar
Essa verdade
É uma canção
Que foi escrita num tempo distante
É a voz desse amor que vibra no meu coração
Esse amor que arde
Vida após vida
Sol que renasce no fim da tarde
Canção da verdade que nunca vou esquecer...
Na voz de um amor que sempre vai viver.

Tuesday, May 02, 2006

Esqueça mentindo!

A pior mentira não é aquela que falamos aos outros e, sim aquela que falamos a nós mesmos. Talvez, porque acreditamos que mentindo para nós, esta possa vir a tornar-se verdade. Quem sabe? É uma auto-afirmação e isso ajuda. Na realidade, no âmago de nossa mente, sabemos que aquilo é mentira, mas é mais fácil acreditar que é verdade, para ajudar a ser real. Mentir sobre sentimentos ajuda a transformá-los em outros sentimentos, pelo menos assim quero acreditar! Não dizem por aí que, do amor pode nascer o ódio? Quem sou eu para questionar isso? E eu quero continuar acreditando nessa frase, mas se eu puder escolher...Trocaria o ódio pelo desprezo, é mais interessante, não gosto de possuir ódio ou rancor no coração, isso não faz bem, mas o desprezo é ótimo! É um sentimento de desapego, e isso é muito bom! É o que eu preciso! E depois do desprezo, para completar e ficar perfeito, o esquecimento! Ah o esquecimento é tudo que eu preciso, aliás, bendita a idéia de Deus de fazer-nos esquecer de vários acontecimentos e pessoas. Tudo bem, esquecer por completo alguém numa mesma vida, é difícil, mas será interessante quando ao lembrar, ser aquela recordação vaga, vazia e sem nenhum sentimento, isso é o melhor. E quando renascemos, ah... Esquecemos TUDO! Todo o mal que causamos a alguém ou a nós mesmos, ou pessoas que nos fizeram sofrer, possuímos somente o efeito de todas as nossas atitudes, mas nunca, nunca (tudo bem, com raras exceções) saberemos a causa. Sinceramente, sempre pedi a Deus o porquê de minhas aflições, respostas em outras encarnações, mas hoje me arrependo de tais pedidos, não quero saber mais nada, adoro não saber mais nada do que fiz ou o que fizeram para mim, é melhor assim, já sofremos muito com várias causas dessa vida, o que dirá se soubermos de outras vidas, iríamos enlouquecer. Realmente não quero! Se ficarmos querendo receber respostas do céu sobre outras vidas, ficaremos sempre presos ao passado, e nunca conseguiríamos construir um futuro melhor sem que essas recordações nos causem dor, aflição e amargor. Então, esqueça! E isso, serve também para erros cometidos nessa vida! Mesmo que você tenha que mentir para você, dizendo e afirmando, todos os dias: “Eu esqueci”. Quem sabe, isso não se torna real? E quando acontecer, nem irá perceber...

Nada

Não houve frases e nem uma troca de olhares. Houve somente uma única palavra... tchau!


It is better thus, this helps me

Monday, May 01, 2006

Por favor, perdoe-me

Perdoe-me por eu não ser quem você gostaria que eu fosse
Perdoe-me por não pensar como você gostaria
Perdoe-me por não agir como você gostaria
Perdoe-me por não possuir como você gostaria
Perdoe-me por não poder lhe oferecer grandes bens
Perdoe-me por não atender suas expectativas
Perdoe-me por ainda precisar de você
Perdoe-me se a minha existência dificultou a sua vida
Perdoe-me se a minha presença incomoda a sua vida
Perdoe-me por ainda não poder sair da sua vida
Perdoe-me...

Obsessão Prazerosa

"Há prazer que nos gera sofrimento
Há sofrimento que nos dá prazer"

Waldehir Bezerra de Almeida