Wednesday, April 12, 2006

Perguntas

Se alguém me perguntar: qual o maior sofrimento que existe? Responderei sem pestanejar: “O sofrimento da escolha”. Eis aqui, o que é para mim o pior de todos os sofrimentos que um ser humano possa sentir. Quando você deve escolher que decisão tomar, é enlouquecedor, porque você nunca sabe ou saberá se tomou a decisão correta. Depois da escolha ser feita, você sempre pensará: Será que escolhi o certo? E como seria a minha vida, se eu tivesse feito outra escolha? Como saber? Nunca saberá, Nunca! Uma simples escolha errada pode mudar completamente a nossa vida! Não é exagero. O pior disso tudo é que nós sabemos que escolhas são feitas por nós mesmos, ninguém pode decidir o rumo das nossas vidas. Mas, a escolha nos trás medo e por causa disso acabamos por pedir que outras pessoas escolham por nós. Talvez porque no final das contas, queremos dividir a culpa pela escolha errada. Isso é errado, eu sei. O pior é quando buscamos respostas do céu! Exigimos, muitas das vezes sinais dos céus, sonhos talvez. Acredito em sonhos sim, por experiência própria já obtive respostas em meus sonhos, mas o problema é que, quando desejamos muito que algo aconteça, você acaba tendo sonhos sobre aquilo, mas não significa que acontecerá, e sim que você está perdido em seus próprios devaneios. Não sabe mais distinguir um verdadeiro sonho dos seus desejos insanos.

Pode parecer loucura da minha parte, mas sempre tive medo de sentir medo! Sim eu sei, é loucura, mas...Digo isso, porque o medo nos impede de tomar certas atitudes. Escrevo isso, porque nunca tive dificuldade de tomar decisões, muito pelo contrário, uma característica muito explícita em meu comportamento, é a de ser impulsiva. Sendo que, depois de várias decisões tomadas ao longo de sua vida, escolhas erradas, tentativas frustradas, sofrimentos marcados, você começa a desenvolver um certo medo, inclusive esse medo é de você mesmo! Porque na verdade, você é o grande causador de seus próprios sofrimentos.

Mas...Se alguém me perguntar: As conseqüências da nossa vida é fruto do nosso livre-arbítrio ou do destino? Será uma linha tênue entre os dois? Eu não sei. Essa resposta eu gostaria de tê-la. Muitas das vezes, procuramos dar culpa no destino, aquilo que você sabe que deve acontecer, mesmo sem a sua interferência, mas quando paramos para analisar os fatos, verá que são conseqüências de sua atitude. Não estou querendo complicar os fatos, e dizer que “isso ou aquilo” aconteceu por atitudes de vidas passadas, apesar de não desconsiderar o fato, mas na maioria das vezes essas atitudes erradas logo repercuti em um efeito imediato, e não conseguimos enxergar isso. Temos dificuldade de admitir os nossos erros hoje, quero dizer nessa vida atual, imagine se soubéssemos as infinitas encarnações que tivemos! E infinitos erros que cometemos. Pare para pensar, e lembre quantas pessoas você já magoou, e agora imagine, quantas pessoas você magoou em outras vidas. Com certeza são muitas. Mas, quando alguém nos fere o ouvido com má resposta, dificilmente nos lembramos que este “já nos respondeu com gentileza noventa e nove vezes”. Às vezes, tenho vontade de pedir perdão por todas as respostas más que fiz para todos à minha volta. Por todas as palavras amargas que eu poderia ter dito.

*****

"A dor dilacera. Mas aperfeiçoar-nos-á o coração, se buscarmos aproveitá-la.

A incompreensão dói. Contudo, oferece-nos excelente oportunidade de compreender.

O desespero destrói. Diante dele, porém, encontramos ensejo de cultivar a serenidade.

O ódio enegrece. No entanto, descortina bendito horizonte à revelação do amor.

A aflição esmaga. Abre-nos, todavia, as portas da ação consoladora.

A prova tortura. Sem ela, entretanto, é impossível a aprendizagem.

Auxilie o ofensor com os seus bons pensamentos. Ele nos ensina quão agressivos e desagradáveis somos ao ferir alguém."

Pelo Espírito André Luiz

No comments: