Wednesday, April 19, 2006

Através das máscaras

Quem nunca colocou uma máscara em seu rosto que atire a primeira pedra, se for capaz.
Infelizmente é assim que conseguimos viver uma vida marcada por dificuldades e desilusões. Quantas vezes afirmamos que estamos bem quando alguém nos pergunta como estamos. Mesmo que na hora da resposta, nos cause uma profunda dor em nossas almas. Mesmo que na hora você deva conter suas lágrimas para não demonstrar tristeza, e ainda deve responder com um sorriso mascarado, apesar dos seus olhos responderem tudo. Quando alguém nos faz essa pergunta, pensamos em mil acontecimentos nas quais não nos dão motivos para dizer que sim. Ainda assim, respondemos que sim. Somos obrigados a responder que sim, pois ninguém se importa em saber realmente como estamos, nem tão pouco se importam em ajudar-nos. Temos que usar aquela máscara, que todos nós conhecemos, utilizada especialmente para estes momentos. O problema é quando você utiliza essa máscara na maior parte do tempo, porque no final do dia, você percebe que você já não é mais você. Você chega até a esquecer o que você é na realidade. Você só consegue ser você mesmo, quando se recolhe em uma noite fria, escura e sozinha. Sem máscaras, você consegue refletir, escrever o que sente, chorar...sem estar preocupado se alguém irá te criticar, pois não existe “alguém”.
Se ficar em silêncio conseguirá ouvir uma voz... é a sua alma dizendo o que precisa. Mas não conseguimos dar a nossa alma tudo o que ela precisa e então, lágrimas cairão... Mas você poderá chorar, poderá sofrer, poderá ser você, pois é a sua noite, o seu momento, você precisa disso todas as noites. Para que ao amanhecer, você possa abrir sua gaveta e retirar a sua máscara, e sair...

No comments: