Saturday, December 30, 2006

Obrigada por tudo... E, um feliz 2007

Um Feliz 2007...

Aos amigos eternos, adoro vocês, mas perdoem-me, pois eu não estou sendo uma boa amiga (não ligo com tanta freqüência), em especial: Jaqueline (amiga que conheci no pré-vestibular, bem sabes q te adoro), Fabiano (meu ex-cunhado, soh a gente se entende né?, hihi), Leonardo Prata (meu ex-marido, apesar de tudo, ainda e seremos sempre amigos), Janaína, Wildson, Jurema, Fernando, Rose, Michele (todos amigos do Centro Espírita SEARA)

Aos veeelhos amigos, na qual permanecemos afastados, mas que agora não deixaremos mais isso acontecer: Leonardo Valentim e Emily Bernardo (amigos do pré-vestibular, adoro vcs)

Aos novos amigos, adorei ter conhecido vcs, espero manter essa nova ou futura amizade pelos próximos anos, em especial: Luana (amiga do curso de Inglês e, obrigada por me aturar esse ano falando e falando por horas depois do curso sobre meus casos amorosos, hihi), André Lins (do centro espírita CEACE, obrigada por estar me ajudando), Eliana Merlone (do Centro Espírita CEACE, um muuuito obrigada pela ajuda psicológica q tem me dado, ah e pode puxar a minha orelha por eu ainda não ter ligado, apesar de estar precisando), Breno e Giana (do centro espírita CEACE, obrigada pela receptividade e pela “caroninha” de toda sexta feira, rsrsrsr), Rodrigot (obrigada pela ajuda com o comput e pelos momentos felizes), Bernarda (fevereiro tô aih, hein, rsrsr) e Rafa.

Aos amigos familiares, em especial: Michelle Trindade (minha irmã) e Marquinho (meu cunhado), obrigada por estar me aturando esse tempo todo na casinha de vcs, afinal de contas eu sou chata pra cacete; Marcelo (meu irmão querido, hihi), perdoe-me por esses vinte e tantos anos de ausência...agora a gente vai ter q tirar esse atraso, né? E, obrigada pela sua amizade, e principalmente pelo maior e melhor presente que vc me deu nesse ano de 2006, que é o meu sobrinho liiiiindo, Thiago.

Aos amigos da faculdade, espero que a nossa amizade dure além do tempo da Universidade, (não vou citar nomes, pq sei lah...) Adoooooro todos e, vcs sabem que a “Dani-lee” sempre, mas sempre ajudará a todos, hihi, obrigada à todos por me aturarem esse tempo todo de facul, afinal de contas eu falo e reclamo pra cacete, hahaha! Daqui a pouco a nossa formatura chega....

Aos amigos nerds ou não-nerds, mas que contribuíram para a minha nerdisse, em especial: Leonardo Prata (meu ex-marido, grande “fornecedor” de meus animes favoritos, hihi), Michelle Trindade (minha irmã, que me empresta o mangá da Holic e comprou o Tsubasa para mim), Rafa (da facul, que tah me emprestando e gravando CDs de Rock progressivo para mim, valeu msm!), Marquinho (meu cunhado, que comprou CDs novos de playstation para mim, hihi)

Aos amigos do Coral Despertar, obrigada pelo Ano de 2006, espero que nós estejamos juntos nos próximos anos e, sempre cantando cada vez mais!!!

Aos amigos da Empresa BIODERM, adorei ter trabalhado com vcs todo esse ano de 2006 e, em 2007 tem maaaaaais!!! Ah! E, a festa de final de ano, tava mt boa, bebi e dancei horrores, nem quero ver as fotos... alguém gravou essa maluquice??? Espero q não... Acho q o chefinho (Stephane) ficou surpreso, hihihi.

À todos que eu convivo, perdoem-me se falei demais ou se falei de menos e, obrigada por respeitarem a minha individualidade.

Mais uma vez... UM FELIZ 2007 PARA TODOS!!!

Friday, December 29, 2006

Poesia


"Ora direis ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso"!
E eu vos direis, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto...
E conversamos toda a noite, enquanto
A via láctea, como um pátio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.

Direis agora! "Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?

"E eu vos direi:"Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas".

Olavo Bilac. Poesias. Belo Horizonte, Itatiaia, 1985

Monday, December 25, 2006

Tempo de Ser Feliz

Letra de Jamily

Salvem o nosso planeta
Salvem o nosso país
Salvem a nossa Amazônia
O nosso verde está por um triz

O mico leão dourado
O boto rosa também
O dedo de Deus já criou
O homem mexeu, destruiu, esgotou

Salvem meu futuro
Quero um amanhã sem medo
Sem crianças pelas ruas
Pedindo um pedaço de pão

Salvem meu futuro
Eu quero respirar ar puro
500 anos quero bis
Dá tempo de ser feliz

Salvem o nosso planeta
Salvem o nosso país
Salvem a nossa Amazônia
O nosso verde está por um triz

O mico leão dourado
O boto rosa também
O dedo de Deus já criou
O homem mexeu, destruiu, esgotou

Salvem meu futuro
Eu quero um amanhã sem medo
Sem crianças pelas ruas
Pedindo um pedaço de pão

Salvem meu futuro
Eu quero respirar ar puro
500 anos quero biz
Dá tempo de ser feliz

Deus ilumine essa nação
E ponha amor nos corações
Dos que governam a minha, a nossa pátria amada

Deus ilumine essa nação
E ponha amor nos corações
Dos que governam a minha, a nossa pátria amada
Brasil
Brasil





Sunday, December 17, 2006

Decay - Rie Fu


Linda Música, linda letra

*****

Você poderia ter dito uma palavra mas você se virou

Por que você sempre age de forma tão passiva?(...)

Você fechou as suas portas antes que eu pudesse abrir as minhas

Agora eu sei, agora eu vejo, foi uma perda de tempo (...)

Quando me deram paixão, oh eu tentei esfriá-la

Até que eu percebi, eu não poderia dizer as palavras que queria dizer (...)

Não tem um jeito de eu andar para quem você era a dez dias atrás

Porque você é quem você é agora (...)

Quando eu estava enfrentando a realidade, eu vivi em fantasia

Até que eu pus de lado o espaço entre você e eu (...)

Eu só estou esperando que você se levante

O que você está esperando? (...)

Eu ainda acredito em você

Saturday, December 09, 2006

Final Feliz

(Jorge Versilo)

Chega de fingir,
Eu não tenho nada a esconder agora é
Pra valer, haja o que houver
Não tô nem aí,
Eu não tô nem aqui pro que dizem,
Quero ser feliz
E viver pra ti
Pode me abraçar sem medo,
Pode encostar sua mão na minha
Meu amor,
Deixa o tempo se arrastar sem fim
Meu amor,
Não há mal nenhum gostar assim
Oh, meu bem
Acredite no final feliz
Meu amor, meu amor!

**************************
Espero ter conseguido passar a mensagem... Alguém entendeu alguma coisa???

Thursday, December 07, 2006

Complexo de Superioridade

Hoje me senti na obrigação de escrever sobre isso, até porque uma pessoa insiste em dizer que me acho superior aos outros.
Bom, como devo iniciar... Uhm, acho que sei por onde devo iniciar...
“Ser melhor a cada dia”
É a Lei da Evolução, dada a nós por Deus. Essa Lei é como uma lei da física, como por exemplo, a gravidade da Terra, ou seja, não tem como “fugir” dela, é física. Sendo que, essa Lei da evolução, cabe a nós acelerar ou não.
Confesso, que possuo muitos ideais, que para a maioria das pessoas, são ideais ridículos, e que tudo isso é para eu ser diferente ou superior. Não, não são. Eu sou apenas “uma formiguinha querendo fazer a sua parte”, apenas.
Por que eu sou vegetariana? Bom, para a maioria é porque eu me acho superior, pois não estou matando os animais, e estou tendo uma alimentação relativamente saudável, podendo com isso, esnobar os outros, e ainda dizer que sou melhor do que todas as pessoas carnívoras. Que grande bobagem! Confesso, que no início eu escolhi ser vegetariana para melhorar a minha alimentação, que na época estava horrível, em seguida, nem me lembro porque, veio toda essa história de não querer matar os animais para comer. Mas, a vida nos revela muitas coisas... Percebi que sou vegetariana porque na verdade eu tenho um “grande” débito passado (refiro-me a vidas anteriores) em relação à alimentação. Mesmo que eu quisesse deixar de ser, eu não conseguiria. Como posso me achar superior? Se, na verdade eu é quem fiz coisas horríveis em relação à isso. Bendito, é quem não tem problemas alimentares, pois qualquer comidinha estranha que eu coma começo a me sentir mal do estômago.
Por que sou espírita? Ah...são tantos os motivos! A maioria das pessoas acha que os espíritas se acham superior. Mas, como diz aquela frase:
“Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que faz para dominar as suas más tendências.”
Bom, até a minha história de se tornar espírita não foi bela. Algumas pessoas lêem o livro dos espíritos, e se identifica com a doutrina. Comigo não foi assim. Tornei-me espírita não pelo amor que reconheci nas suas belas escritas, mas sim pela dor que reconheci em possuir mediunidade. Para quem está achando que ser médium é ser superior aos outros, está muito enganado. Quem é espírita sabe que na verdade é o contrário. Com exceção dos missionários, toda a pessoa que é médium é porque na verdade possui muitos débitos. E, eu sou uma. Com todas as minhas obsessões e transtornos mediúnicos, por coincidência, conheci a doutrina. Li os livros, e isso foi um alívio psicológico para mim. Hoje, me identifico com a doutrina. Não porque eu acho a melhor religião do mundo, mas porque eu acho a melhor religião para mim, é o que eu necessito. É o conforto da minha alma. Através dela, entendo porque eu passo por todos esses problemas na minha vida. Todos esses ensinamentos já fazem parte de mim. Por causa dela, eu procuro melhorar a minha conduta, mesmo que seja difícil ou que pareça ser impossível. Como posso me achar superior? Se na verdade, tudo o que eu faço ou fiz é por causa de todas as idiotices que fiz nas minhas vidas.

Simples Reflexões

Acontecimentos pequenos e insignificantes no meu cotidiano me fazem refletir sobre coisas grandes e complexas na minha vida.
Porque uma pessoa ajuda a outra? Qual é o propósito?
Quando se ajuda alguém, nunca deve esperar retribuição. Se você ajuda, com a intenção de que essa pessoa um dia irá te ajudar, então, isso que você fez não foi ajudar...mas sim, uma forma de interesse mascarada, porque você espera ser retribuído.
Hoje eu ouvi: - “Se você quis ajudar os seus amigos, agora agüenta as conseqüências”. Fiquei imaginando: Como alguém pode pensar assim? Ajudamos porque gostamos, apenas. Se alguém pensa os piores dos instintos humanos, eu prefiro não pensar assim. Prefiro pensar que um dos instintos humanos é ajudar o seu semelhante. É engraçado como pequenas frases que nos falam ao longo da vida, marca o nosso coração. Recordo-me, uns anos atrás, que eu sempre enxergava o pior do ser humano. E, uma pessoa (que eu considero muito como amigo e mentor) percebendo esses meus pensamentos, falou-me:
“-Tudo na vida têm o seu lado bom”, parece ridículo e simples essa frase... Então, ele continuou, “Deus nunca permite que algo aconteça sem nenhum propósito bom, cada gota que cai dos céus tem a permissão divina”. E, me deu tantos exemplos disso, na qual a minha mente mesquinha e pequena não conseguia enxergar. Desde então, quando eu percebo que estou esperando o pior de alguém, eu lembro dessa frase. Tão simples e tão grandiosa. Ainda tenho muito que mudar na minha conduta. O mais fácil foram as minhas atitudes, que com perseverança, muitas delas foram “domadas”. Agora, luto contra os meus pensamentos obscuros...

Friday, December 01, 2006

Estúpido Cupido

Celly Campello
Composição: Celly Campelo


Oh! Cupido vê se deixa em paz,
Meu coração que já não pode amar
Eu amei há muito tempo atrás,
Já cansei de tanto soluçar
Hei, hei, é o fim, oh, cupido vai longe de mim
Eu dei meu coração a um belo rapaz que prometeu me amar e me fazer feliz
Porém, ele me passou pra trás,
Meu beijo recusou e o meu amor não quis
Hei, hei, é o fim, oh, cupido vai longe de mim
Eu vi um coração cansado de chorar,
A flecha do amor só trás angústia e a dor
Mas, seu cupido o meu coração, não quer saber de mais uma paixão
Por favor, vê se me deixa em paz, meu pobre coração já não agüenta mais
Hei, hei, é o fim, oh, cupido vai longe de mim

**************************
Recentemente eu fiz um trabalho sobre a história da Música no Brasil, e com isso, resgatei várias músicas interessantes. Essa música é bem interessante, pois acredito que retrata o coração de muuuuitas mulheres...
E, infelizmente como diz a música, o nosso cupido é bem estúpido!!!

Experiências Espirituais – Parte I

Era noite e, eu mal enxergava o que se encontrava à minha volta. Quando “dei-me por mim”, estava subindo uma escada de pedras e, era fechada e estreita. Demorava muito para subir, e comecei a sentir um certo medo do que estava por vir, ou seja, o que havia lá em cima. Mas, apesar do medo que me afligia, eu sabia que não podia desconcentrar-me. Quando cheguei, percebi que era o último andar de um castelo de pedras. O lugar era aberto (era possível perceber a imensidão daquela noite), e extremamente alto, não sabia dizer ao certo o tão quanto. Havia algumas pessoas, nas quais a maioria não me era familiar. Percebi, que eu me encontrara no Egito antigo.

Logo em seguida, uma pessoa familiar, mas com outro envoltório corpório, com suas infinitas jóias, fixou os seus olhos aos meus. Será que é quem eu imagino? Perguntei ao meu mentor, e ele confirmou os meus pensamentos. Aquele olhar me fez sentir um calafrio e um medo absurdo. E, a cada passo que essa pessoa dava em minha direção, eu dava mais um passo para trás, sem tirar os meus olhos aos dele. Mas, resolvi olhar à minha esquerda... Havia uma mulher extremamente bela e sedutora, com os seus cabelos negros e longos, sendo contemplada e bajulada pelos seus servos. Logo, a minha mente recordou de uma pessoa familiar e, antes que eu pudesse concluir os meus pensamentos, o meu mentor energicamente confirmara tais conclusões. Rapidamente olhei à minha frente e, aquele homem continuava com os seus firmes passos à minha direção. Fechei meus olhos por alguns segundos, e pensei: Aquela mulher traía este homem com os seus servos, sem que ele soubesse. Quando abri meus olhos, percebi que este homem já estava muito próximo de mim e, encostei-me no muro desse castelo sombrio. Virei o meu rosto e, olhei para baixo, percebi o quão alto eu estava. Senti-me presa, e aflita. E, então me veio uma “onda de pensamentos e recordações”... Sim, naquele momento, naquele lugar, aquela pessoa me matara. E, antes que eu pudesse sentir a dor da morte, fui resgatada pelo mentor...

Tuesday, November 21, 2006

Tudo Que Se Quer

Emílio Santiago

Emilio:Olha nos meus olhos
Esquece o que passou
Aqui neste momento
Silêncio e sentimento
Sou o teu poeta
Eu sou o teu cantor
Teu rei e teu escravo
Teu rio e tua estrada

Verônica:Vem comigo meu amado amigo
Nessa noite clara de verão
Seja sempre o meu melhor presente
Seja tudo sempre como é
É tudo que se quer

Emilio:Leve como o vento
Quente como o sol
Em paz na claridade
Sem medo e sem saudade

Verônica:Livre como o sonho
Alegre como a luz
Desejo e fantasia
Em plena harmônia

Emilio:Eu sou teu homem, sou teu pai, teu filho
Sou aquele que te tem amor
Sou teu par e teu melhor amigo
Vou contigo seja aonde for
E onde estiver estou

(Ambos):Vem comigo meu amado amigo
Sou teu barco neste mar de amor
Sou a vela que te leva longe
Da tristeza, eu sei, eu vou
Onde estiver estou
E onde estiver estou

Monday, November 20, 2006

Mensagem

"Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas dos outros, e se tornar um autor da própria história"

Fernando Pessoa

O sol está nascendo para mim

Há um tempo atrás,
Os sentimentos eram mais fáceis
Era aquele tempo em que a chuva caia... E trazia a solidão
Aquele tempo em que eu acreditava que você não me deixava sozinha
Neste momento, a chuva cessou e, o dia começou a clarear.
Aos poucos o sol está nascendo
Apesar de ainda sentir o cheiro da chuva... Eu estou certa que o céu está se abrindo para mim.
Mesmo que a chuva tenha fechado o tempo... Acredito que ela precisou acontecer... Ela molhou a terra... A minha terra...
O sol está se abrindo...
É lindo ver o sol nascer... Conforta-me e, me acalma.
Agora...Caminho nesse dia somente por mim.

Saturday, November 11, 2006

Pessoas e Sentimentos

As pessoas passam rapidamente à nossa frente,
Gostaria, simplesmente de esquecê-las,
Virar-se e seguir um outro caminho,
Sem que as lembranças torturem a minha mente.

A vida parece curta, meu bem, mas não o é.
Essa vida que passa diante de seus olhos é apenas um segundo diante de toda a sua eternidade...
Como é a vida para uma pessoa que tem pressa?
Será que elas têm tempo para se conhecer?

Gostaria apenas de ter controle sobre os meus sentimentos.
Colocá-los em uma caixinha devidamente embrulhada e,
Guardá-la dentro de uma gaveta fechada.
E abri-la, quando eu achar merecedor.

Thursday, November 09, 2006

Lembranças

Recordo-me dos tempos de infância. Nasci covarde, e tive que me tornar uma pessoa forte, mas o medo ainda me persegue e, ainda assim continuo caminhando com os meus sonhos. Você já conseguiu realizar os seus sonhos? Os meus ainda não se realizaram. Perdoe-me se fiz parecer ser uma pessoa amarga, mas a vida me fez assim, sempre foi tão amarga para mim... Gostaria de apagar essas lembranças do passado, destruindo aquele tempo, aquele lugar, mas eu não consigo. Eu quero viver o presente, esse momento é o que importa, então, me ajude a apagar essas antigas lembranças! Todos os dias que já passei, me fizeram ser quem sou agora, mas não me orgulho disso. Desejo um novo começo...

Único

Eis aqui, o único motivo para eu ainda estar nesse quarto, nesse momento... Toda escolha tem seu preço, você só precisa avaliar se quer ou não arcar com os custos.

Thursday, November 02, 2006

Momentos

Já tive momentos em que desisti das minhas escolhas,
Mesmo quando pareciam ser boas para mim,
Já tive momentos em que desisti de alguns valores,
Mesmo que na época eu os defendia com todo o fervor
Já tive momentos em que desisti de metas que eu determinara,
Talvez porque eu soubesse que não conseguiria alcançá-las
Já tive momentos em que desisti da amizade,
Talvez porque esta me decepcionou
Já tive momentos em que desisti do sorriso,
Talvez porque já não era capaz de conter as minhas lágrimas
Já tive momentos em que perdi a razão
Talvez porque o momento me pedisse a “loucura”
Já tive momentos em que desisti do romantismo,
Talvez porque esse sentimento não me era retribuído, ou porque simplesmente o desejo de tê-lo me fazia sofrer
Já tive momentos em que desisti dos amores,
Mesmo que na época eu tenha dito e sentido que era um dos maiores amores da minha vida, talvez a vida tenha me revelado o contrário, ou simplesmente eu desisti desse sentimento.
Já tive momentos em que desisti da vida,
Mesmo sabendo que a morte é a continuação da vida e que, em nenhum momento isso mudaria o “estado do meu espírito”. Talvez porque eu tivesse perdido as esperanças.

Acredito que de um tudo eu já desisti na minha vida, exceto a minha capacidade de sonhar... E, esses momentos são únicos para mim.

Mensagem de Chico Xavier

Que Deus não permita que eu perca o ROMANTISMO,
mesmo sabendo que as rosas não falam...
Que eu não perca o OTIMISMO,
mesmo sabendo que o futuro que nos espera pode não ser tão alegre...
Que eu não perca a VONTADE DE VIVER,
mesmo sabendo que a vida é, em muitos momentos, dolorosa...
Que eu não perca a vontade de TER GRANDES AMIGOS,
mesmo sabendo que, com as voltas do mundo, eles acabam indo embora de nossas vidas...
Que eu não perca a vontade de AJUDAR AS PESSOAS,
Mesmo sabendo que muitas delas são incapazes de ver, reconhecer e retribuir, esta ajuda...
Que eu não perca o EQUILÍBRIO,
mesmo sabendo que inúmeras forças querem que eu caia...
Que eu não perca A VONTADE DE AMAR,
mesmo sabendo que a pessoa que eu mais amo pode não sentir o mesmo sentimento por mim...
Que eu não perca a LUZ E O BRILHO NO OLHAR,
mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo escurecerão os meus olhos...
Que eu não perca a GARRA,
mesmo sabendo que a derrota e a perda são dois adversários extremamente perigosos...
Que eu não perca a RAZÃO,
mesmo sabendo que as tentações da vida são inúmeras e deliciosas...
Que eu não perca o sentimento de JUSTIÇA,
mesmo sabendo que o prejudicado possa ser eu...
Que eu não perca o meu FORTE ABRAÇO,
mesmo sabendo que um dia os meus braços estarão fracos...
Que eu não perca a BELEZA E A ALEGRIA DE VIVER,
mesmo sabendo que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos e escorrerão por minha alma...
Que eu não perca o AMOR POR MINHA FAMÍLIA,
mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigiria esforços incríveis para manter a sua harmonia...
Que eu não perca a vontade de DOAR ESTE ENORME AMOR que existe em meu coração,
mesmo sabendo que muitas vezes ele será submetido e até rejeitado...
Que eu não perca a vontade de SER GRANDE,
mesmo sabendo que o mundo é pequeno...E acima de tudo...Que eu jamais me esqueça que Deus me ama infinitamente!
Que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois...
A VIDA É CONSTRUÍDA NOS SONHOS
E CONCRETIZADA NO AMOR

Tuesday, October 31, 2006

Sobre Livros VII

Ainda estou lendo o livro que eu havia escrito antes em Sobre Livros VI, apesar de ainda não conseguir compreendê-lo em sua essência, ou por falta de tempo de leitura ou por falta da minha própria experiência de vida, não sei dizer ao certo. Só consigo afirmar que isso me deixa extremamente confusa. Acredito que eu esteja lendo esse livro de uma forma equivocada, se é que posso dizer assim, porque confesso que estou lendo esse livro com um certo “compromisso”, mas a história narrada revela uma leitura mais simples e descompromissada e, infelizmente ainda não consegui enxergá-lo dessa maneira. Devo confessar que eu fiquei bem “empolgadinha” com a sua leitura agradável, inteligente, bem humorada e, a conseqüência disso é esperar muito de sua história. Talvez, no próximo capítulo que irei ler (pelo menos, assim eu desejo), eu consiga enxergá-lo de uma outra forma, ao menos eu posso tentar. Somente pude ler quatro capítulos, são eles: "O Encontro, O Romance, A Timidez, O prazer" (são capítulos curtos, de apenas uma página) e, posso afirmar que todos eles foram ótimos, como já escrevi, gosto de cada palavrinha escrita. Talvez eu esteja exigindo demais desse romance, deve ser porque é muito, mas muito difícil eu me afeiçoar a um livro e, ainda assim... tão rapidamente. Bom... de qualquer forma essa leitura é bem prazerosa mesmo sendo um “tanto” descompromissada.

Monday, October 30, 2006

Aparências

Não acuse o irmão que parece mais abastado. Talvez seja simples escravo de compromissos.

Não condene o companheiro guindado à autoridade. É provável seja ele mero devedor da multidão.

Não inveje aquele que administra, enquanto você obedece. Muitas vezes, é um torturado.

Não menospreze o colega conduzido a maior destaque. A responsabilidade que lhe pesa nos ombros pode ser um tormento incessante.

Não censure a mulher que se apresenta suntuosamente. O luxo, provavelmente, lhe constitui amarga provação.

Não critique as pessoas gentis que parecem insinceras, à primeira vista. Possivelmente, estarão evitando enormes crimes ou grandes desânimos.

Não se agaste com o amigo mal-humorado. Você não lhe conhece todas as dificuldades íntimas.

Não se aborreça com a pessoa de conversação ainda fútil. Você também era assim quando lhe faltava experiência.

Não murmure contra os jovens menos responsáveis. Ajude-os, quanto estiver ao seu alcance, recordando que você já foi leviano para muita gente.

Não seja intolerante em situação alguma. O relógio bate, incessante, e você será surpreendido por inúmeros problemas difíceis em seu caminho e no caminho daqueles que você ama.

Pelo espírito André Luiz, psicografia de Francisco Cândido Xaxier. AGENDA CRISTÃ.

Sunday, October 29, 2006

Pai Nosso

E elevando o seu espírito magnânimo ao Pai Celestial e colocando o seu amor acima de todas as coisas, exclamou:
- "Pai Nosso, que estás nos céus, santificado seja o vosso nome." E, ponderando que a redenção da criatura, nunca se poderá efetuar sem a misericórdia do Criador, considerada a imensa bagagem das imperfeições humanas, continuou: - "Venha a nós o teu reino." Dando a entender que a vontade de Deus, amorosa e justa, deve cumprir-se em todas as circunstâncias, acrescentou: - "Seja feita a tua vontade, assim na Terra como nos céus." Esclarecendo que todas as possibilidades de saúde, trabalho e experiência chegam invariavelmente, para os homens, da fonte sagrada da proteção divina, prosseguiu: - "O pão nosso de cada dia dá-nos hoje." Mostrando que as criaturas estão sempre sob a ação da lei de compensações e que cada uma precisa desvencilhar-se das penosas algemas do passado obscuro pela exemplificação sublime do amor, acentuou: -"Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores." Conhecedor, porém, das fragilidades humanas, para estabelecer o princípio da luta eterna dos cristãos contra o mal, terminou a sua oração, dizendo com infinita simplicidade: - "Não nos deixeis cair em tentação e livrai-nos de todo o mal, porque teus são o reino, o poder e a glória para sempre. Assim Seja."
Levi, o mais intelectual dos discípulos, tomou nota das sagradas palavras, para que a prece do Senhor fosse guardada em seus corações humildes e simples.

Não Diga

Eu sei que você já foi ferido, e que suas dores ainda não foram cessadas, mas, não diga aquelas palavras tão duras. Eu sei que ninguém enxuga suas lágrimas, mas não diga que isso nunca ocorrerá. Você ainda está triste e, não precisa se culpar por isso, mesmo assim, não diga que não pode sorrir. Quero poder sentir novamente esse sorriso.
Não diga que não pode mais acreditar na vida.

Thursday, October 26, 2006

Futilidades do Ser Humano – Parte II

Eu já havia escrito sobre esse assunto em Futilidades do Ser Humano, dando enfoque na futilidade de uma pessoa se relacionar com outra somente se esta for bonita, ou seja, tendo total preconceito em relação à aparência externa. No momento, irei dar enfoque em outro tipo de futilidade, porque também me decepciona tal atitude. Iniciando da mesma forma: Será que a condição financeira de uma pessoa é tão importante a ponto de decidir um relacionamento amoroso? Para muitas pessoas, a resposta é sim. E, infelizmente, fico decepcionada com esse tipo de atitude, aliás, tenho dificuldade até de discutir sobre isso. Não quero particularizar esse tipo de futilidade à relacionamentos amorosos porque isso existe em todos os ambientes sociais. E, vale para as duas partes, ou seja, existe o preconceito da pessoa que possui condições financeiras em relação a que não possui, e também o contrário. Se você está na posição de “melhor financeiramente” e falar que possui isso ou aquilo, ou que foi a tal lugar, a outra pessoa se sente ofendida e pode vir a dizer alguma bobagem como: “gente rica é outra coisa”, “num fala mais com pobre”, ou sei lá o que (odeio essas frases). E se for o contrário, pode ser que a pessoa diga algumas bobagens, não sei ao certo se é com o intuito de ofender, tais como: “mora mal pra caramba”, “odeio gente pobre”, ou algumas perguntas que pode te deixar ofendida.
Mais uma vez escrevo... Estatisticamente comprovado, para a grande maioria, isso é um ponto decisivo na escolha de um futuro relacionamento, apesar de ser difícil para mim, compreender tal coisa, ou seja, quantas vezes você já viu duas pessoas se relacionarem com padrões sociais completamente distintos? Sejamos realistas, isso é um caso raro. Além da pessoa ser bonita também deve ter condições financeiras para nos relacionarmos??? Bom... Não consigo concordar.

Sunday, October 22, 2006

Ilusões

Eu me perdi em meus próprios caminhos
Já não sei mais para onde seguir
Ou, no que acreditar que seja melhor para minha vida
Será que me permitem viver na ilusão? A vida real é tão cruel.
Não, eu não posso me permitir tal coisa
Mas...como faço para que aconteça tudo aquilo que se passa em minha mente?
É tudo tão complicado. E, não depende só de mim.
Então, me ajude. Faça-me viver tudo aquilo que eu desejo. Ajude-me a transformar essas ilusões em realidade. Eu sei que você pode.

Saturday, October 21, 2006

Compreensão

Ah... se eu pudesse entender sobre os homens... Ao menos procuro compreender essa humanidade nada “humana”.

Meditando sobre esse texto...

“A Natureza fez os homens tão iguais quanto às faculdades do corpo e do espírito que, embora por vezes se encontre um homem manifestamente mais forte de corpo, ou de espírito mais vivo do que outro, mesmo assim, quando se considera tudo isto em conjunto, a diferença entre um e outro homem não é suficientemente considerável para qualquer um que possa com base nela reclamar qualquer benefício a que outro não possa também aspirar, tal como ele.”
(Leviatã, cap. XIII, p. 45.)

Parece simples, dependendo de como você o lê. Hmm, acredito que o autor somente levantou uma questão política e social, ou pelo menos é o que parece, se você continuar lendo o resto do livro, tudo indica que sim. Mas esse texto me fez meditar sobre uma outra questão, especificamente sobre grandes diferenças na personalidade do ser humano, tais como, inveja, orgulho, egoísmo, competição, cobiça, preconceito, essas coisinhas que todo mundo conhece. O que quero dizer aqui, que no final de tudo, todos nós temos todos esses defeitos. Um mais outro menos, lógico, mas todos nós em algum momento, despertamos esses sentimentos. E se formos observar o “todo”, perceberemos o quanto nós somos iguais. Mas você deve pensar: Imagina! Como pode me comparar a um assassino? Mas reflita em sua mente... quantas vezes você assassinou algum sentimento alheio com palavras mais duras? E pensando assim, também está sendo orgulhoso, não querendo ser comparado à pessoas que você julga ser inferior a você. Quem é você para julgar alguém e determinar se este ou aquele é pior do que você?
Tudo isso, é porque o ser humano não quer se ferir. Sempre queremos “estar por cima”. Na dúvida você fere para não ser ferido. E, todos nós queremos atenção. Todos nós queremos ser importantes, pelo menos para alguém.
Não estou querendo me tirar do contexto!!! Já tenho até fama de ser “certinha”, o que aliás, isso me incomoda muito. Não o fato de eu tentar fazer o que é certo, mas por não entender porque as pessoas a minha volta se sentem tão incomodadas com isso. Tenho lá as minhas teorias...
Bom...onde estou querendo chegar...
O grande “q” da questão é o fato de você tentar se melhorar ao meio disso. Difícil, né?
Se você está fazendo parte de um determinado ciclo social em que às pessoas a sua volta, por exemplo, são pessoas mesquinhas que gostam de falar da vida alheia, e você não quer e não gosta desse tipo de atitude, e muito menos fazer parte. O que você faz? Se você não fizer parte disso, é anti-social. Acho que já me acostumei com isso...Confesso que há uns anos atrás tinha medo da solidão, pois sempre notei a minha incapacidade de me relacionar com outras pessoas, e principalmente relacionamentos duradouros. Hoje não! Depois que eu e a solidão fomos apresentados. Percebi que ela não é tão ruim assim... Aliás, em alguns momentos eu até a curto e me é útil! Estou até pensando no fato dela ser minha eterna amiga...

Thursday, October 19, 2006

Controle

Mais uma vez, eu aqui escrevendo sobre sentimentos... Tantas coisas que eu poderia escrever! Poderia escrever sobre filosofia, política (aliás, estou lendo um livro ótimo “Os clássicos da política” talvez eu escreva algo sobre esse livro um dia, não sei), história ou até ciência, enfim... São tantos os assuntos, mas quando começo a escrever... Não sei o que acontece, mas sempre “rola” aquela vontade de tentar expressar esses sentimentos, posso considerar de uma certa forma como um desabafo. Afinal de contas, criei esse blog para desabafar e não para ficar escrevendo informações sobre algo para os outros lerem. Na verdade, eu nem sei quem lê esse blog e por quê. Para mim, ele é uma espécie de “arquivo morto” dos meus sentimentos, na qual eu posso ficar lendo e relendo-o quantas vezes eu sentir necessidade!
Bom...como eu posso iniciar... Na verdade, há dias em que eu gostaria de escrever sobre o assunto “melindres”, na qual me despertou uma grande curiosidade sobre o assunto, depois que eu assisti uma palestra na Casa Espírita que eu freqüento, e também porque me identifiquei em certos aspectos. Muita gente (por incrível que pareça) não sabe o que é um indivíduo melindroso. Se você procurar no dicionário encontrará escrito:

Melindre: facilidade em ofender-se, em magoar-se. Delicadeza afetada ou natural ao trato.

Por eu dizer que me identifiquei em certos aspectos, talvez vocês devam estar se perguntando: Mas você é melindrosa???
Quem me conhece, sabe que não. Acontece que o melindre não para por aí, ou pelo menos ao meu ver. Voltando ao fato de eu me identificar... Primeiramente, eu não me ofendo tão facilmente, aliás, sendo mais sincera, depende da pessoa. Na verdade, eu avalio se eu realmente gosto de alguém desse modo: Se a pessoa conseguir me ofender, é porque eu verdadeiramente gosto dessa pessoa. Na maioria das vezes eu desprezo (desculpe a sinceridade).
Retornando sobre a minha concepção sobre o melindre, eu acredito que, além do melindre ser uma pessoa que tem facilidade em ofender-se (o que eu acho isso péssimo), ele é uma pessoa de certa forma “controladora”. Bem...como vou explicar isso? À partir do momento que você se ofende por qualquer coisa, é porque você não aceita a opinião do outro, ou seja, nada pode fugir dos seus padrões, o que nesse caso seria aceitar o fato de existir pessoas que podem lhe afetar, não concordarem com as suas opiniões ou simplesmente não gostarem de você! Oras, se alguém disser para mim: “Danielle eu não gosto de você! Eu vou responder: E daí? Tanto faz, nunca fiz questão da amizade de ninguém”! Enfim, mas nem todo mundo pensa assim, e quem sou eu para criticar? Cada um com os seus problemas e traumas. Tá! Mas onde eu entro nessa história? Eu entro na parte onde diz “controle”. De certa forma eu sou um tanto controladora, mas não com os outros e, sim comigo mesma. E o pior, sou controladora com os meus sentimentos.

Não me permito, chorar por alguém.
Não me permito, esperar por ninguém.
Não me permito, acreditar em alguém.
Não me permito, decepcionar-me com ninguém

As poucas vezes que ocorreu isso, eu me arrependi. É uma espécie de auto-controle, porque se você se permitir esperar que uma determinada pessoa tenha “uma certa atitude” e ela não o fizer, você irá se decepcionar. Se você se permitir acreditar nas palavras dessa pessoa, e descobrir que tudo aquilo fora mentira, você irá chorar.

E acredite, ninguém merece uma gota de choro meu!

Sunday, October 15, 2006

Sobre Livros VI

Ah...é impressionante como existem livros maravilhosos, prontos para serem lidos, e você nem conhecia... Muita das vezes, escondidos nas prateleiras, bem discreto. Às vezes você abre para lê-lo de uma maneira meio que descontraída, e fica fascinada com a leitura. Sem querer me iludir com a história, até porquê, quem me conhece sabe que eu não costumo me iludir com nada, só estou curtindo a história, nada mais. Gosto de cada palavrinha escrita... Devo dizer, que é estranho da minha parte, porque confesso que sou muito chata para livros. Não é todo livro que me agrada, e não adianta ter uma capa linda e um prefácio relativamente bom. Acredito que você só sabe se o livro irá te agradar depois de ter lido no mínimo um capítulo (será que é pouco?), para então saber ao menos se continuará com a leitura. Sou o tipo de leitora que se eu começar a ler e não gostar logo no começo.........desisto! Como eu disse, sou uma leitora bem seletiva. E não gosto de perder tempo numa leitura que não está me agradando, só para ver “onde vai dar”. Esse livro é diferente! É uma leitura agradável, inteligente, bem humorada, enfim... não consigo demonstrar em palavras, eu apenas me sinto bem e feliz quando estou lendo-o. Não sei se vai parecer maluquice da minha parte, mas... Eu estou gostando muito de ler esse livro, só não sei se esse livro está gostando de mim (podem me chamar de doida, onde já se viu um livro gostar de alguém?), e por causa disso, sinto uma certa insegurança ou receio talvez. Receio de não poder ler mais essa história...

Sunday, September 24, 2006

Sobre Livros V

Entrei na biblioteca novamente e, encontrei o volume 2 daquele livro que eu havia dito em Sobre livros IV, sendo novamente uma história curtinha e interessante. Apesar de eu ter me decepcionado um pouco nos últimos parágrafos (o livro é tão pequenino, que não é dividido em capítulos), eu achei a leitura bem prazerosa. Devo dizer que, apesar de ter lido esse livrinho curtinho, ainda prefiro aqueles livros maiores. Fico fascinada com aqueles livros enormes, na qual você demora meses lendo-o. Toda semana você lê um capítulo, coloca um marcador de páginas, e fica imaginando como será o próximo capítulo... Será que vou encontrar desse livro com no mínimo umas 500 páginas??? Bom... Não quero ser chata e ficar entrando freneticamente em várias bibliotecas a procura desse livro numa versão maior. É melhor esperar...
Além disso, estou muito orgulhosa de mim por não mais querer ler aquele livro com uma história triste e sem figuras, mas devo confessar que há um tempo atrás eu ainda estava com um certo desejo de lê-lo. Mas, não quero ficar me martirizando por isso, porque infelizmente, eu passava (e ainda passo) todos os dias em frente à biblioteca onde esse livro fica exposto na vitrine (e ainda bem visível), e o pior é que, não tem como eu passar por uma outra rua, porque só existe essa. Hoje, posso dizer que esse livro não me atrai nem um pouco, para falar a verdade eu o vejo com um certo desprezo. Agora, eu aguardo o dia em que aquela biblioteca não exponha mais esse livro na vitrine, porque eu não suporto mais olhar para tal livro tão horrível.

Sunday, September 17, 2006

Relatando uma Noite Diferente

Dia 4 de Novembro para mim, fora uma noite longa para o meu espírito e curta para a minha mente.Uma experiência na qual ainda sou incapaz de relatar com clareza de detalhes. Não! Eu não posso relatar. Apagaram tudo! Não me sobraram imagens, sons, sentimentos ou dores. Nada...
Fecharam meus olhos, meus ouvidos e cuidaram para que eu não sentisse dores. Nenhuma dor. Quem foi?
Não chorei em nenhum momento, nem quando me dei conta do ocorrido. Por que?
Sempre me julguei não merecedora de resgates. Sempre soube da minha condição espiritual no momento. Então, por que?
Hoje, caem lágrimas dos meus olhos quando lembro que tive essa ajuda espiritual num momento como aquele, e esse resgate fora tão perfeito que agradeço todas as noites. Apesar, de ainda não compreender o porquê que essa ajuda me foi dada.
Também não sei por quê tive que passar por essa experiência, se para mim, nada sobrou em minha mente. Talvez, ficou marcado em meu espírito, não sei dizer. Ou quem sabe, seja uma prova não para mim, mas para outros à minha volta. Também não sei dizer para quem.
Fui protegida pelos mentores desde o primeiro momento até hoje, até agora. E, espero que para sempre.
Ainda não me acho merecedora de tal ajuda, mas... Obrigada, mesmo assim.

Sunday, September 10, 2006

Lições da Vida

Sempre olhe o outro a uma distância considerável, ou seja, suficientemente longe ao toque porém perto dos seus olhos.
Apesar da distância, deverá enxergá-lo bem, visando cada passo dado por ele. Mas, não chegue muito perto, porque você poderá ver a expressão do outro, a sua face ou o seu olhar, e poderá com isso, se comover, e se enganar com tais expressões. E, essa outra pessoa também será capaz de enxergar suas expressões, seu olhar de alegria ou tristeza, e com isso, saber suas limitações e fraquezas. Nunca se exponha aos outros! O envolvimento só acarreta desilusões...
Você exige, e é exigido!
Você espera pelo outro, mas o outro também espera por você!
Você ama, e quer ser amado!
Mas, nunca é uma troca justa!
Não deixe ser enganado...
Mantenha distância!
Reflita...você pode sentir, não sente? Sim! você sente.
Então, mude seu olhar, mantenha o seu silêncio e vire seu rosto.

(...)

Assim é melhor.

Sunday, September 03, 2006

Sobre Livros IV

Depois de um longo período, ontem entrei numa biblioteca e escolhi um livro, na verdade acho que o livro me escolheu. Apesar desse livro se encontrar numa estante próxima ao último livro que eu li, aquele....com uma história triste e sem figuras, essa história e um dos personagens desse novo livro é bastante diferente do outro.
Bom, como vou explicar.... Esse livro é um daqueles livrinhos pequenos, na qual você consegue ler em uma noite e adorar o começo, meio e o final da história, e ainda fica aquela vontade de “quero mais”! Talvez eu procure na biblioteca, um outro dia, se existe o volume 2 desse livro. Sei lá! Quem sabe? Talvez possa até existir desse livro com uma história mais longa, em que eu possa me envolver um pouco nesse romance e ainda poder colocar um marcador de páginas em cada capítulo. Posso dizer com sinceridade, que parece ser um bom livro, daqueles que vale a pena ser lido. Espero não estar enganada!!! Apesar de eu não gostar de ler esses livros pequenos que terminam em algumas horas, posso dizer que esse foi muito bom...

Sunday, August 27, 2006

Desejos não são Esperanças

Não possuo esperanças e sim, desejos. Esperança é quando você espera por algo ou alguém, na qual você tem fé de que vai conseguir. O meu caso é diferente. Eu sei que não vou conseguir, mas não consigo deixar de desejar.
É como uma criança pobre a desejar um brinquedo caro. Ela sabe que não pode comprar e que jamais terá, mas continua a desejar. Acredito que se ela ver esse brinquedo na mão de outra criança, sofrerá eternamente. Chorará por cada vez que o ver, por cada vez que imaginar esse brinquedo tão desejado não ser dela mas sim, de outra. E não adianta ganhar um brinquedo supostamente semelhante. Ela deseja “aquele” brinquedo e, nunca ficará feliz com outro.
Tenho que admitir que é um sofrimento que me dá prazer. Sofro por não ter, mas sinto prazer ao desejar. É uma vontade que não cessa e, não há nada que alivie esse desejo.
São somente desejos. Já perdi o controle de mim mesma. Os meus desejos me controlam. Sou obsediada pelos meus próprios desejos, tentações que não me permitem ficar em paz. Eu mesma me prendi em uma prisão de sonhos e joguei a chave fora. Sem esperanças de salvação. Talvez porque eu não queira ser salva, ou quem sabe os meus desejos já tenham obstruído qualquer resquício da minha razão. Fui cegada por mim mesma e, estou nadando num mar de loucuras.
Certa vez, uma pessoa me escreveu: “Não perca seu tempo sofrendo por coisas que você não pode ter”. Essa pessoa tem razão, eu sei, mas já me entreguei aos meus desejos insanos, e não consigo mais me libertar de tudo isso. Eu sei que estou perdendo tempo, querendo loucamente o que não posso ter. Eu sei disso! Mas, não depende mais de mim, porque não sou mais capaz de sair dessa prisão sozinha. Em meu ato de insanidade, joguei a chave fora!

É... Eu sou aquela criança pobre admirando o brinquedo caro na vitrine.
Impossível de tocá-lo,
Impossível de tê-lo em meus braços...

Naquela Tarde

Era uma tarde aparentemente bela, na qual o sol podia iluminar aquele lugar. Tudo parecia normal, até que surgiu uma “certa conversa”. Ela não se prepara para aquele dia, mas não queria perder tal oportunidade.
Era perceptível o seu nervosismo expresso em seu olhar, se prestasse atenção podia-se ouvir claramente as batidas de seu coração e, suas mãos transpiravam, tamanha era a sua aflição.
Apesar disso, ela conseguiu dizer algumas palavras um pouco metaforizadas, porém entendidas. Mas, os efeitos repercutidos daquelas palavras não fora o esperado. Ela ouviu palavras que nunca desejara ter ouvido. Naquele momento, experimentou a sensação de ter caído de um precipício e, sentiu o terrível choque da queda. Não sabia o que fazer, nem o que dizer, mas conseguiu conter suas lágrimas com sacrifício e dor, pois não gostava de demonstrar suas dores e fraquezas. Ergueu seu rosto, demonstrando o mínimo de dor que estava sentindo. Levantou-se, e saiu.
A tarde fechou-se e, nunca mais o sol pôde iluminar aquele lugar.

Saturday, August 12, 2006

Músicas que falam por mim II

The Corrs - At Your Side Lyrics

When the daylight's gone and you're on your own
And you need a friend just to be around
I will comfort you, I will take your hand
And I'll pull you through, I will understand

And you know that

I'll be at your side, there's no need to worry
Together we'll survive through the haste and hurry
I'll be at your side
If you feel like you're alone, and you've nowhere to turn
I'll be at your side

If life's standing still and your soul's confused
And you cannot find what road to choose
If you make mistakes (make mistakes)
You can't let me down (let me down)
I will still believe (still believe)
I will turn around

And you know that

I'll be at your side, there's no need to worry
Together we'll survive through the haste and hurry
I'll be at your side
If you feel like you're alone, and you've nowhere to turn
I'll be at your side
I'll be at your side
I'll be at your side
You know that

I'll be at your side, there's no need to worry
Together we'll survive through the haste and hurry
I'll be at your side
If you feel like you're alone, you've got somewhere to go,
'Cos I'm right there
I'll be at your side, I'll be right there for you
(Together we'll survive) through the haste and hurry
I'll be at your side
If you feel like you're alone, you've got somewhere to go,
'Cos I'm at your side

I'll be right there for you
I'll be right there for you, yeah
I'm right at your side
****
Eu apenas gostaria ter ouvido tudo isso de você. Eu precisava somente disso. Mas, você não o fez. Você é incapaz de fazer isso.
Em meus sonhos você é doce. Mas, são apenas sonhos...
Eu nunca verei você estender as suas mãos para levantar-me,
Nunca ouvirei sair de sua boca palavras para me confortar,
Nunca verei você me abraçar quando eu sentir medo da vida,
Nunca verei você enxugar as minhas lágrimas quando eu não conseguir mais suportar tamanha dor...

Thursday, August 03, 2006

Aprendizado

Aprendi, que a vida aqui na terra se passa em um piscar de olhos. Que não devemos ter pressa para conseguir o que julgamos ser essencial para a nossa felicidade, porque muita das vezes ela não está ao nosso alcance naquele momento. E quando isso ocorre, devemos ter calma! Porém, nunca desistir. Mas, sem insistir demais, porque não é bom para o nosso espírito possuir tais tentativas frustradas. Devemos esperar um pouco porque tais coisas acontecerão no momento certo e na hora adequada.
Aprendi também, pela maneira mais árdua e sofrida, que o verdadeiro amor está acima de qualquer sentimento egoísta e mesquinho do homem. E, esse amor não desaparece... Nem o tempo é capaz de tal coisa.
Aprendi, que apesar de eu não poder expressar esse amor como eu desejo, ainda posso demonstrar de outras formas e, ainda assim irá me fazer feliz e que, mesmo estando à distância do meu toque, ainda pode estar próximo ao meu espírito.
E, além disso, somos capazes de dar amor sem receber e esperar nada em troca. Com isso, aprendi que posso conviver e aceitar eternamente esse amor incondicional e não correspondido. E, pode ser que em algum momento, pelas andanças das várias vidas, esse amor possa ser retribuído. Pode ser que, por algum milésimo de segundo ele seja retribuído.
E, eu hei de esperar por esse momento...
Por mais um minuto,
Por mais um dia,
Por mais um ano,
Por mais uma vida,
Por toda a eternidade...

Saturday, July 29, 2006

Através das Máscaras II

"Quem nunca colocou uma máscara em seu rosto que atire a primeira pedra, se for capaz". Escrevi sobre isso em Através das máscaras. Primeiro, escrevi que usava uma máscara, agora vou escrever quando essa máscara fica pesada e cai.
Acredito que essa máscara fica pesada quando a utilizamos demais. Ficamos cansados de usá-la a todo momento e, quando menos percebemos ela cai e, o pior, no momento em que não era para isso acontecer, ou seja, o mais inoportuno possível. Pegamos a máscara do chão e colocamos novamente em nosso rosto, mas não fica igual, porque essa máscara vai ganhando ranhuras cada vez mais perceptíveis podendo até quebrar e, se isso acontecer... fica difícil conseguir outra. E ainda, todos poderão ver o seu verdadeiro rosto. Isso é horrível!!! Imagine a cena! Alguns quando olhar, irão se decepcionar, outros irão te desprezar. E ainda, irão te julgar. Isso me dá medo!
O pior, é aquelas pessoas que percebem rápido a situação, ou seja, quando sem a gente perceber a máscara cai e, logo a outra repara, não precisando cair uma segunda vez... e mesmo que você coloque rapidamente a sua "máscara da alegria", já é tarde. Já perceberam... Isso é péssimo! Temos que ter uma boa destreza!
Ainda estou tentando usar essa máscara com mais destreza, não a deixando cair na hora errada, mas está muito difícil, porque às vezes perdemos o controle, ou talvez eu não tenha vontade de usá-la em determinados momentos. Existem dias, que eu gostaria de ser apenas eu, sem me importar com mais nada à minha volta. Mas, eu sei que não posso.
Agora, estou tentando conseguir outra máscara mais novinha em que eu nunca tenha utilizado e tal! Ainda não sei onde conseguir, mas quero muito achá-la. Será que consigo?
Por favor, sem julgamentos contra a minha pessoa. Infelizmente, só consigo enxergar essa maneira de conviver melhor com a sociedade...

Saturday, July 22, 2006

Se...

Se eu morrer amanhã...
Valeu a pena o que fiz até hoje?
O que eu aprendi até hoje?
Eu possuo algumas verdades nas quais são inabaláveis, principalmente acerca da morte do corpo e conseqüente desprendimento do espírito.
Não tenho medo
Nunca tive
Não tenho nada a temer

Se eu morrer amanhã...
Será que descobrirei porque estou aqui? O que eu devo fazer?
Será que me permitirão abrir os olhos para que eu possa enxergar todas as minhas existências no plano carnal?
E, será que estarei preparada para isso?
Será que suportarei?
Não tenho medo da morte, mas tenho medo do meu “inferno” interior, que me assombrará ainda por um longo período...

Se eu morrer amanhã...
O sol continuará brilhando, todos os dias!

Friday, July 21, 2006

Músicas que falam de Amor II

Right Here Waiting

Richard Marx

Oceans apart day after day
And I slowly go insane
I hear your voice on the line
But it doesn't stop the pain

If I see you next to never
How can we say forever

Wherever you go
Whatever you do
I will be right here waiting for you
Whatever it takes
Or how my heart breaks
I will be right here waiting for you

I took for granted, all the times
That I thought would last somehow
I hear the laughter, I taste the tears
But I can't get near you now

Oh, can't you see it baby
You've got me goin' crazy

Wherever you go
Whatever you do
I will be right here waiting for you
Whatever it takes
Or how my heart breaks
I will be right here waiting for you

I wonder how we can survive
This romance
But in the end if I'm with you
I'll take the chance

oh, can't you see it baby
you've got me goin crazy

Wherever you go
Whatever you do
I will be right here waiting for you
Whatever it takes
Or how my heart breaks
I will be right here waiting for you
Waiting for you

Sunday, July 16, 2006

Meu Amor

O meu amor se foi em silêncio
E no meu peito só deixou
Lembranças...
Do tempo que se passou
Tão tristes...

Quando me dei conta
A música já havia cessado
E o silêncio já envolvia todo o meu peito
Você lembra daquela música?
Eu ainda possuo recordações daquela música
Música de nós dois
Aquela música envolvia-me por completo
E agora, só me resta o silêncio.

O meu amor se foi calado
Não se ouve nem um sussurro...
Nem mesmo quando a noite aparece,
E a lua se faz presente e,
As estrelas brilham numa noite fria e solitária

O meu amor se foi...

Thursday, July 13, 2006

Não precisa

Eu não deveria estar escrevendo sobre isso aqui, até porque se trata de uma questão muito pessoal, mas eu não consigo deixar de escrever, minhas lágrimas não me permitem...

Eu sei que você não gosta de mim, talvez até me odeie
Mas não precisa dizer isso para mim
Eu sei que sou um estorno na sua vida,
Mas não precisa dizer isso para mim
Eu sei que você não me quer ao seu lado, nem ao alcance da sua visão
Mas não precisa dizer isso para mim
Eu sei que eu não te proporciono felicidade
Mas não precisa dizer isso para mim
Eu sei que eu não te proporciono orgulho
Mas não precisa dizer isso para mim
Eu sei que para você represento apenas gastos financeiros
Mas não precisa dizer isso para mim
Também sei que você não quer uma filha e nem age como um pai
Mas ainda sim, não precisa dizer isso para mim...

Eu não quero ouvir essas palavras saindo de sua boca...
Infelizmente, é só um desejo meu.

Sunday, July 09, 2006

Antigas Imagens

Suplico-Lhe, destrua essas antigas lembranças minhas
Faça-me esquecer pouco a pouco
Por favor, arranque essas imagens do meu peito que me causam dores!

Através dessas imagens...

Eu vejo meus atos errados,
Eu vejo minhas limitações,
Eu vejo minhas fraquezas,
Eu vejo minhas decepções,
Eu vejo minhas paixões...

Por favor, faça-me esquecê-las
Desejo apagá-las e pintá-las com um novo tom
Dê-me um novo quadro e um pincel e, deixe-me pintar uma nova história
Por favor

Wednesday, June 28, 2006

Castelos

Eu sei que lamentar não é o melhor caminho e de nada serve. Mas acho que acabamos por nos acostumarmos com isso, sendo que ninguém quer ouvir as nossas lamentações. Só o papel nos deixa escrever, sem preconceitos.

Sonhos lindos... Eu sonhei.
Ergui vários castelos. Sempre em busca da realização de cada sonho meu.
Construí cada castelo, com amor e sacrifício. Sim! Para erguer cada castelo tive que sacrificar um pouco de mim.
Esses castelos, eu construí com cada pedacinho meu e, com muito sacrifício. Mas quando estava quase a terminar, ele fora destruído. Isso aconteceu, inúmeras vezes. Confesso que alguns, eu mesma destruí. Julguei não ser bom para mim. Mas será que o meu julgamento estava correto? Não sei, e nunca saberei.
A minha reflexão é sobre: Quantas vezes, ainda terei de construir o meu castelo? Construir e reconstruir. Começar do zero? Talvez...
Isso requer muito trabalho e, às vezes acarreta a desilusão.
Estou construindo novamente esse meu castelo, sendo que dessa vez, começo do nada. Apesar dos meus sonhos serem muito belos, hoje eu sei, que não passarão de sonhos. Na verdade, não estou mais construindo um castelo e, sim um casebre simples e modesto, mas ainda assim, é belo para mim.

Monday, June 26, 2006

No Início da Madrugada

Finalmente, aos prantos, ela conseguiu ter coragem de perguntar à ele, na medida que ela sempre teve medo de saber a resposta.
- Então, quer dizer que entre nós é impossível.
E, ele responde, com toda a frieza.
- Eu não disse que era impossível, disse que não quero.

Wednesday, June 21, 2006

No Meio da madrugada

Era uma noite escura e fria e, ela encontrava-se sozinha. Até que, os seus olhos puderam avistar uma pessoa. Sim! Era quem ela esperava. Seu coração acelerava enquanto ele se aproximava. Mas, na medida que ele se aproximava ela pôde notar que a expressão de sua face estava tomada de ódio. E, quando seus olhos se encontraram, ele disse:
- Por que você fez isso?
- Eu não te perdoou!
Aos prantos a menina indagou:
- O que foi que eu fiz?
E ele disse:
- Eu não te perdoou!
Virou-se e, foi embora, desaparecendo naquela escuridão, enquanto ela gritava desesperadamente, perguntando o que foi que ela fizera!
A menina chorava tanto, principalmente porque ela não sabia o que havia feito e, também porque ele fora embora, deixando-a ajoelhada ali sozinha, sofrendo de paixão.

Sunday, June 18, 2006

Péssimos Hábitos

- Pessoas inteligentes falam sobre idéias, pessoas normais falam sobre coisas, pessoas mesquinhas falam sobre pessoas. (Platão)

É impressionante como a maioria das pessoas gostam de falar da vida alheia. Fico observando a minha volta, procuro não falar nada, mas isso incomoda muito. Não estou dizendo que todos gostem de falar mal, a questão não é essa, bem ou mal, a maioria gosta de falar dos outros. E, lógico, sempre querendo dar "pitaco" onde não é chamado. Fulano fez isso ou aquilo e, em meia hora, se você quiser, consegue fazer um relatório enorme sobre a vida inteira de uma outra pessoa. É deprimente. Tenho medo de falar da minha vida para alguém, pois daqui a um tempo, toda a torcida do flamengo ficará sabendo!!! É ridículo! Se eu falo algo para alguém, é só para esse alguém, pois que, seu eu quisesse falar para todos, eu falaria!!! Odeio fofocas, acho que já deu para perceber... Aliás para eu falar da minha vida para alguém, é porque eu confiei muito. Infelizmente, só me arrependi uma única vez.

A frase de Platão resume isso, somente pessoas mesquinhas são capazes de fazer isso. Não sei o que é pior, se é falar de pessoas ou de coisas. Falar de coisas é tão fútil...

Thursday, June 15, 2006

Tormentas de Minha Alma

Como pude deixar tudo isso acontecer? Como eu não percebi?
Como posso definir o momento exato em que tudo escapou de minhas mãos?
Será que isso me assombrará para sempre? E... Por que ainda acredito?
No momento da ação você está possuído e anestesiado pelos seus próprios sentimentos, não há nada nem ninguém que o faça parar, logo em seguida, quando tudo já ocorrera, você olha para as suas mãos e percebe o que você acabou de cometer e, lágrimas caem do seu rosto. Mas de nada servem...

Músicas que Falam por Mim - I


Always
Michael Kiske
Composição: M&L - Kiske

There is no place for me
And no one to set me free
There is no way to go
There is no place for me
Where it's warm and where I can be
At least there is no place that I know

Sometimes it's hard to see that you're running out of luck
Right now it's my own life I don't know

With everything I did I was the one who laughed
Yes I was always tall and smiled
Yes everything I did I thought would always last
And I felt always strong inside

There is no place for me
And no one to set me free
There is no way to go
There is no place for me
Where it's warm and where I can be
At least there is no place that I know

But I'm fine, I'm alright even though there's nothing left
'Cos what it means I'm sure will show

Somewhere along the way I lost the key for it
But I was always true inside
Somewhere inside myself I'm praying for a bit
Of what was always open wide

When I look around there's only broken glass I see
And everywhere I reach it's hurting me
Looking back I find there was not much how it should be
It's slowly killing me!

I got to go, kick all dust off my shoes
Take all that's good inside and turn it 'round

'Cos with everything I did I was the one who laughed
Yes I was always tall and smiled
Yes everything I did I thought would always last
And I felt always strong inside

Tuesday, June 13, 2006

Prece

E ela encontrava-se em uma situação difícil, rogou em prece e pediu:
- Senhor, sei que sou incapaz de acender uma vela em meio à escuridão, mas neste momento suplico-Lhe que me ajude para poder ajudar. Precisam de mim, Senhor!
E Ele a atendeu. E a luz se fez presente...

Discussões em Grupo

Depois de um jogo difícil do Brasil, onde a maioria já havia bebido “todas”, sempre rola uma discussão, desde políticas a amores. Na maior parte do tempo eu apenas ouvia. Infelizmente não fui capaz de dizer muitas palavras produtivas, nunca me senti tão impotente de ajudar, na medida que só precisava de algumas palavras certas.

- Por que existe tanta desgraça no mundo?
- Por que há tanta injustiça no mundo?
- Por que alguns possuem mais do que os outros?
- Por que tanta desigualdade social?
- Por que pessoas “aparentemente” boas sofrem?

Esses foram alguns questionamentos feitos durante essa discussão. Como posso responder essas perguntas para alguém que não tenha a mesma visão que eu, ou seja, espírita? Fui incapaz de ajudar...Por um lado estava triste por toda a situação. Percebi o quanto que todos estavam revoltados, me senti um pouco culpada também, por ser a única que não estava com coração possuído de ódio. Por outro lado, percebi, o quanto eu era feliz e o quanto a minha doutrina me ensinou a compreender todos esses questionamentos e a ter calma.

Aí vão algumas respostas...

- A Terra oferece um dos tipos de mundos expiatórios, cuja variedade é infinita, mas revelando todos, como caráter comum, o servirem de lugar de exílio para espíritos rebeldes à lei de Deus. Esses espíritos tem aí de lutar, ao mesmo tempo, com a perversidade dos homens e com a inclemência da Natureza, duplo e árduo trabalho que simultaneamente desenvolve as qualidades do coração e as da inteligência. É assim que Deus, em sua bondade, faz que o próprio castigo redunde em proveito do progresso do Espírito. Santo Agostinho (Paris, 1862)

- A desigualdade das riquezas é um dos problemas que inutilmente se procurará resolver, desde que se considere apenas a vida atual.
Por que Deus a dá a pessoas incapazes de fazê-la frutificar para o bem de todos? É novamente uma prova da sabedoria e da bondade de Deus. Dando ao homem o livrearbítrio, quis que ele chegasse, por sua própria ação, a estabelecer a diferença entre o bem e o mal, de tal forma que a prática do bem fosse o resultado de seus esforços e de sua própria vontade. O homem não deve ser conduzido fatalmente nem ao bem, nem ao mal, porque seria apenas um ser passivo e irresponsável, como os animais. A riqueza é um meio de colocá-lo à prova moralmente; mas, como ela é, ao mesmo tempo, um poderoso meio de ação para o progresso, Deus não quer que ela fique por muito tempo improdutiva, e eis por que a transfere incessantemente. Cada qual deve possuí-la para aprender a utilizá-la e demonstrar que uso dela saberá fazer. Mas há uma impossibilidade material de que todos a possuam ao mesmo tempo. Se todas as pessoas a possuíssem, ninguém trabalharia, e o melhoramento da Terra sofreria com isso. Essa é a razão de cada um a possuir por sua vez. Desta maneira, aquele que hoje não a tem, já a teve ou a terá em uma outra existência, e outro que a tem agora poderá não ter mais amanhã. Há ricos e pobres, porque Deus, sendo justo como é, determina a cada um trabalhar por sua vez. A pobreza é para uns a prova de paciência e resignação; a riqueza é para outros a prova de caridade e abnegação. A origem do mal está no egoísmo e no orgulho; os abusos de toda espécie cessarão por si mesmos, quando os homens deixarem-se reger pela lei da caridade.


- Bem-aventurados os que choram, pois serão consolados.

As compensações que Jesus promete aos aflitos da Terra somente podem realizar-se na vida futura. Sem a certeza do futuro, estes ensinamentos morais seriam um contra-senso, ou, bem mais do que isso, seriam uma enganação. Mesmo com essa certeza, fica difícil de se entender a utilidade do sofrimento para ser feliz. Diz-se que é para ter mais mérito. Mas, então, surge a pergunta: Por que uns sofrem mais do que outros? Por que uns nascem na miséria e outros na riqueza, sem nada terem feito para justificar essa posição? Por que para uns nada dá certo, enquanto para outros tudo parece sorrir? E o que ainda fica mais difícil de entender é ver os bens e os males tão desigualmente divididos entre viciosos e virtuosos e ver os bons sofrerem ao lado dos maus que prosperam. A fé no futuro pode consolar e proporcionar paciência, mas não explica estas desigualdades, que parecem desmentir a justiça de Deus. Entretanto, desde que se admita a existência de Deus, só se pode concebê-Lo em suas perfeições infinitas. Ele deve ser todo poderoso, todo justiça, todo bondade, sem o que não seria Deus. Se Deus é soberanamente bom e justo, não pode agir por capricho nem com parcialidade. As contrariedades da vida têm, pois, uma causa e, uma vez que Deus é justo, essa causa deve ser justa. Eis do que cada um deve se convencer: Deus, pelos ensinamentos de Jesus, colocou os homens no caminho da compreensão dessa causa, e hoje considera-os suficientemente maduros para compreendê-la. Deste modo o homem é, na maior parte dos casos, o autor de seus próprios infortúnios, mas, ao invés de reconhecer isso, acha mais conveniente e menos humilhante para sua vaidade acusar a sorte, a Providência, o azar, sua má estrela, quando, na verdade, sua má estrela é a sua negligência.

Todas essas respostas foram retiradas do Evangelho Segundo o Espiritismo.

Espero ter ajudado um pouco...

Monday, June 12, 2006

Para o Dia dos Namorados

Apesar de estar sozinha neste momento, não deixarei de postar um texto sobre o dia dos Namorados. Retirei este lindo poema de um livro, na qual, na minha opinião é um dos melhores que eu li até o momento. Há dois mil anos é um livro escrito pelo espírito Emmanuel e, psicografado por Francisco C. Xavier e, este poema foi escrito por Públio Lentulus (Emmanuel) para sua alma gêmea, Lívia.

Alma gêmea

Alma gêmea de minha alma
Flor de luz de minha vida
Sublime estrela caída
Das belezas da amplidão.
Quando eu errava no mundo
Triste e só, no meu caminho,
Chegaste, devagarinho,
E encheste-me o coração.
Vinhas na benção das flores
Da divina claridade,
Tecer-me a felicidade
Em sorrisos de esplendor!
És meu tesouro infinito.
Juro-te eterna aliança
Porque sou tua esperança,
Como és todo meu amor!
Alma gêmea de minha alma
Se eu te perder algum dia...
Serei tua eterna agonia,
Da saudade nos seus véus...
Se um dia me abandonares
Luz terna dos meus amores,
Hei de esperar-te , entre as flores
Da claridade dos céus.

Dedico este poema à minha alma gêmea, que ainda não o encontrei, mas hei de encontrá-lo pelas andanças de várias vidas...

Sunday, June 11, 2006

Somente Idéias

Recentemente fui à um belíssimo recital de piano de Luiz De Simone, no CCJF e, o pianista falou uma frase na qual ele concordara de Fernando Pessoa, “Jamais amamos alguém: amamos tão somente à idéia que fazemos desse alguém”, e que inclusive, está escrito em seu CD, na música Musa. Sinto não concordar com essa frase de Fernando Pessoa que é muito triste. Aceito que algumas vezes amamos somente à idéia, mas não podemos dizer que “jamais” amamos alguém. Isso, não posso concordar, meu coração não aceita. Se uma pessoa ama sempre a idéia, é porque não consegue aceitar o outro. Amar é aceitar o outro. Não é ficar imaginando um “príncipe encantado” na sua vida, “aquela” pessoa ideal e certa para você. Permanecer tão somente amando as idéias é não viver, é não amar... Acredito que seja uma grande dificuldade de todos nós, e muitos relacionamentos não conseguem dar certo por conta disso, porque ficamos “agarrados” em idéias, ou seja, queremos moldar o outro do jeito que a nossa idéia insana nos diz. Temos que amar sem possuir o sentimento de egoísmo, porque é esse sentimento que nos faz querer que o outro seja como a gente, ou como as nossas idéias mesquinhas desejam. Imaginar é bom... Porque tudo fica bonito e, nada pode dar errado, pois são suas idéias, somente suas! Mas a realidade, apesar de ser um pouco amarga, é melhor, porque ao menos o gosto é verdadeiro. Temos que enxergar o verdadeiro e tentar fazer com que esse gosto amargo seja doce. Isso somente você poderá fazer. Além disso, amar somente à idéia de um alguém, é passageiro, todavia, amar alguém, é eterno!
Amo algumas poucas pessoas. Não faço idéia delas, nem pretendo. Aceito, apesar de querer sim, que em alguns “pontos” elas mudem, mas não deixarei de amá-las por isso.
Não quero ficar presa em devaneios mentais... Idéias que nunca irão se concretizar...

Thursday, June 08, 2006

Orgulho

Há dias estou tentando escrever sobre esse assunto. Fico imaginando algumas palavras, frases que rodeiam à minha mente, mas quando vou escrever... Não consigo! É um assunto muito difícil ainda para mim, visto que, esse sentimento ainda paira em meu ser. Procuro não possuí-lo, mas não consigo. Possuo uma enorme dificuldade em pedir uma simples “desculpa” para alguém. Quando essas palavras saem da minha boca, é porque realmente são sinceras, pois não falo isso com tanta facilidade, muito pelo contrário, tenho até que ensaiar a cena, tamanha é a minha dificuldade! Acho que é porque quando você pede desculpas a alguém é porque falou o que não pensava e, estava com raiva talvez. Acontece que, comigo é diferente, mesmo com raiva, dificilmente eu falo o que não penso, então acaba que, não irei pedir desculpas pelo que falei porque realmente o que saiu de minha boca encolerizada de ódio era aquilo que eu pensava. Quando peço esse “perdão” não é porque eu não pensei no que falei, é porque eu não deveria ter dito o que eu pensava. Aliás, eu confesso que, não acredito que alguém fale sem pensar. Por mais ódio que você esteja no momento, sempre tem uma verdade em suas palavras. Tudo bem! Admito que, quando estamos possuídos de todo rancor, exageramos e pesamos nossas palavras, mas sempre tem uma verdade em todas as palavras ditas, e levo a sério o que me dizem, ou seja, se alguém diz para mim que me odeia, é porque realmente me odeia, porque eu irei pensar o contrário? Justificar as palavras? Não! O que foi dito, já foi...
Além disso, dificilmente me arrependo de algo que fiz ou falei a alguém. E, quando me arrependo dificilmente falarei para pessoa que me arrependi! Sou orgulhosa demais para isso. Tudo bem! Eu sei que é errado, mas como disse, não consigo!
Eu estou aprendendo a não falar o que penso da pessoa para a mesma. Não posso! As últimas experiências que tive foram muito ruins. Ninguém gosta de ser criticado, mesmo quando sabe que estamos falando a verdade. Mas é como se você pegasse um espelho e colocasse na frente da pessoa, sem que ela tivesse lhe pedido tal coisa. É horrível você enxergar os seus defeitos, mesmo que no fundo você saiba e, sempre soube. Acredito que essa sensação piora quando esse espelho for colocado por uma outra pessoa, ainda mais quando você não pediu! Ficamos tomados de ódio...

Wednesday, June 07, 2006

Padrinhos Mágicos

Padrinhos Mágicos são fadas que são enviadas para uma criança triste e com problemas, como Timmy Turner, que tem uma babá maligna que o odeia e o maltrata. Então, quando ele completou dez anos de idade, ele ganhou dois Padrinhos Mágicos chamados Cosmo e Wanda para ajudá-lo, mas às vezes fazem piorar as coisas.

Bom... A minha intenção aqui, não é escrever sobre o desenho "Padrinhos Mágicos", mas sim, especificamente sobre dois personagens do desenho, que são Cosmo e Wanda.
Primeiramente, a Wanda é uma personagem interessantíssima! É uma fada inteligente, responsável e séria, e se casou com Cosmo, que é engraçado, bobo e muito lesado. Não leva nada a sério, a vida para ele é uma completa brincadeira... Acredito que a Wanda tenha gostado dele, principalmente por isso, ela é muito séria e, como o Cosmo sempre diz à ela: É chata e reclama de tudo! Com isso, ela se sente bem ao ficar ao lado de Cosmo, que é a sua alegria, ele não se preocupa com nada e, está sempre rindo transmitindo isso à ela. Eu achei ótimo o episódio na qual mostra que, quase o Cosmo e a Wanda são obrigados a ficarem separados e, ele quase enlouqueceu, pois não consegue dar um passo à frente sem a "autorização" da Wanda... Vale lembrar que a Wanda é muito mandona, mas acredito que ela não faça isso por mal, mas é porque é impossível não ser mandona convivendo com o Cosmo que é tão lesado e nunca sabe o que fazer! Pelo menos certo! Mas ele é tão engraçadinho!!!
Adoro esses dois! Saudades desses personagens...

*****************************************
Parabéns pelo dia que não existe mais...

Sunday, June 04, 2006

Biólogo

"O erro de um médico acaba com uma vida. O erro de um engenheiro acaba com várias vidas. O erro de um biólogo extingue uma espécie." (Rubens Pazza)

Adorei essa frase!!! Só para valorizar minha futura profissão...

Thursday, June 01, 2006

Tudo passa

Hoje a tristeza assola à minhalma, estou precisando de uma palavra de consolo, preciso de ajuda espiritual. Então, resolvi abrir uma página do livro “Para viver bem” de Humberto Pazian, e como nada é por acaso, a seguinte página apareceu à minha frente:

Pondere:
Quais são as suas dificuldades?
São as maiores de todas, não é mesmo?
É assim que a maioria de nós pensa: “Meu problema é tão grande que ninguém pode sequer imaginar”.
Grande bobagem! Não existe nenhuma dificuldade que não tenha uma saída.
Mesmo que a solução não seja aquela de que gostaríamos, com certeza, se tivermos confiança em Deus, entenderemos que, no momento, é a mais apropriada para a situação.
Tudo passa, pode acreditar.

Tuesday, May 30, 2006

Expectativas

Aprendi que não posso criar esperanças de nada. Somente nos decepcionamos quando criamos tais esperanças. Ter esse sentimento de esperança é muito belo, mas posso afirmar com certeza que adquirir decepções em conseqüência dessas esperanças é horrível. Não vale à pena. Assumo que o problema sou eu, por ser uma pessoa muito ansiosa com a vida, acabo exigindo muito de mim e dos outros. Mas, pude refletir com uma frase de Dalai Lama:

“A humanidade pensa ansiosamente no futuro, esquece do presente de tal forma que acaba por não viver nem o presente nem o futuro. E vive como se nunca fosse morrer... e morre como nunca tivesse vivido”.

Quero viver e construir o meu presente, sem me preocupar com problemas, sem criar expectativas de nada nem de ninguém. Para somente assim, não precisar me decepcionar nunca mais.

Sunday, May 28, 2006

I Can

Helloween
Composição: Andy Deris/Michael Weikath

May I take you higher
Feed well your desire
We won't be forgotten.
Foes left slain and rotten

I will have my way as once before
Others stand in awe, can't scorn at all

I can, I can, I can make it all again
I don't wanna lose, don't wanna go down
I can, I can, I can make the call again
Fulfill my dreams until I'm cured
I can!

Will I be the flyer
Keep you more inspired
Some will leave here shattered
Wish us tarred and feathered

Show me anyone who doubts our ways
I will laugh out loud and I will say

I can, I can, I can make it all again
I don't wanna lose, don't wanna get drowned
I can, I can, I can heed the call again
Can attain ev'rything to leave you sure

I can!I can! I... I... I... I can!

Solo: Michael

Leave me waiting years or strike today
Trample down the walls and pave your way

I can, I can, I can make it all again
I don't wanna lose, don't wanna go down
I can, I can, I can make the call again
Fulfill my dreams until I'm cured
I can!

I can! I... I... I can!

Solidão

Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo..... isto é carência.
Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar... isto é saudade.
Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes, para realinhar os pensamentos... isto é equilíbrio.
Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente para que revejamos a nossa vida... isto é um princípio da natureza.
Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado... isto é circunstância.
Solidão é muito mais do que isto. Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma.

Chico Buarque

Saturday, May 27, 2006

Conhece-te a ti mesmo

Qual o meio mais eficaz para nos melhorarmos nesta vida e resistirmos às solicitações do mal?
R: Um sábio da antiguidade vos disse: Conhece-te a ti mesmo. (O Livro dos Espíritos)

Eis aqui, um assunto comentado na palestra de hoje, no "Centro Espírita Amor, Caridade e Esperança". Uma frase bastante reflexiva...

Será que nos conhecemos? Acredito que não. Faça uma reflexão todos os dias. Procure conhecer-te cada vez mais. Com isso, poderás perceber todas as suas virtudes e defeitos. E procurará resistir as suas más inclinações.

Um outro assunto que me chamou a atenção foi a seguinte pergunta feita pelo palestrante: O que te faz acreditar em Deus?

Nossa! que pergunta difícil. Pensei em várias respostas... É engraçado como nós pensamos em respostas complicadas e muito bem formuladas, o que na verdade deveria ser uma resposta bem simples. Em seguida, me veio à mente... Porque faço parte dele, afinal sou filha do Criador!!!

Tuesday, May 23, 2006

Sobre Livros III

Terminei a leitura do livro que possui uma história triste e sem figuras, mas antes de declarar o ponto final deste livro, quero explicitar alguns acontecimentos e sentimentos que tive no decorrer da leitura.
Com sinceridade, digo que nunca houve interesse de minha parte em ler este livro por completo, mas sim apenas ler um pouco do seu prefácio. Mas sem perceber, comecei lendo a introdução, e pensei... Vou ler só algumas páginas, nada demais. E quando me dei conta, já havia lido umas sessenta páginas e estava completamente envolvida na história. Com isso, senti dentro mim, um certo interesse em continuar lendo essa história. Mas, era como se a minha alma já soubesse que essa história não era para ser lida. Mas a curiosidade, aliada ao sentimento de prazer e admiração, não me permitia o rompimento da leitura e, eu lia cada vez mais! Esses sentimentos eram tão intensos que eu não pude enxergar que esse romance, não acabaria com a frase “E viveram felizes para sempre”. Mesmo assim, continuei lendo e, como todo mundo sabe, não dá para você ler dois livros ao mesmo tempo, sendo que, esses sentimentos tão sinceros que eu sentia ao ler este livro, me fizeram esquecer o outro livro e, sem eu perceber, já o havia abandonado. Percebendo tal situação decidi não ler mais este outro livro e, entregá-lo à biblioteca. Depois de tal ato, decidi me dedicar ainda mais à leitura, com isso, os meus sentimentos se multiplicavam a cada palavra. Lembro-me que eu sonhava com esse romance todos os dias e, ficava ansiosa para chegar o horário da leitura.
Enquanto estava lendo este novo livro, confesso que o meu desejo era que este não acabasse nunca, eu queria que o livro fosse daqueles bem “grossos” com muitas páginas para poder eu viver ao máximo o sentimento que cada frase proporcionava. Eu queria que fosse uma coleção com vários exemplares, como aquele livro “Operação Cavalo de Tróia”, que é bem extenso, com aquelas notas de rodapé enormes, bem complicados de entender, e ainda são vários...
Mas não foi isso que ocorreu! No começo dessa trama, eu não sei explicar ao certo se, esses capítulos iniciais estavam muito bons, ou se foram os meus olhos de admiração que os tornaram bons, acredito que nunca saberei responder. Na verdade, o que mudou completamente essa admiração e todos os sentimentos envolvidos ao ler o livro, foi um capítulo único, por volta de um terço do livro, na qual conseguiu reverter pouco a pouco todos esses sentimentos, persistindo até o final da trama. Eu posso até lembrar do título desse capítulo, se chamava...“A decepção”, recordo-me que caí em prantos ao ler este capítulo, apesar de ter chorado também nos outros subseqüentes, mas este fora o pior. Quando eu li esse capítulo, tudo mudou, não sentia mais ânimo em ler o livro, e todo o prazer envolvido em ler este conto foi desaparecendo. Eu comecei a querer que ele acabasse logo e isso me deixou muito angustiada e aflita. Eu sei que vocês podem estar se perguntando: Por que você insistiu em terminar o livro? Eu poderia ter fechado o livro e devolvido à biblioteca, mesmo sem ter lido tudo, como eu fiz com o outro, mas percebi que isso não dá. Eu até tentei fazer isso, mas você fica com aquela história na cabeça achando que o final poderia acabar bem, o que não é verdade. É como se o tempo parasse para você e, você ficasse imaginando o final da história, isso não dá certo! Preferi ser realista e ler até o último ponto final. Tentei acelerar a leitura, mas eu sabia que só o tempo acabaria com esta história. Essa leitura teve uns nove capítulos, acho que teve bastante capítulo, já estava na hora de terminá-lo, eu não suportava mais. Sua história se tornou chata, cansativa e, a minha admiração fora embora pouco a pouco...
Não vou negar que, mesmo quando sua história estava horrível, havia momentos em que eu acreditava que tudo melhoraria, que todo o amor se revelaria no final, surpreendendo todos os leitores assíduos desacreditados. Realmente o meu maior desejo fora este. Foi tudo uma grande ilusão. Não me culpem por isso, afinal de contas, todo mundo quer um final feliz. Houve momentos em que eu desejei escrever esta história! Cheguei a ponto de escrever tal coisa:

Mesmo que você me insulte com as suas palavras,
Ainda assim, quero ouvir sua voz

Mesmo que você não queira a minha presença,
Ainda assim, me sinto feliz ao seu lado

Mesmo que você me odeie,
Ainda assim, quero amá-lo

Mesmo que você não me queira,
Ainda assim, quero esperar por você...

Só para demonstrar tal insanidade da minha parte, mas como eu não era a autora do livro, então...

Apesar de eu ter terminado o livro, mas, como disse anteriormente em Sobre Livros II, ainda possuo algumas dúvidas em relação ao comportamento de um dos protagonistas da história. Achei que até ao final do livro, estaria escrito com letras bem grandes, cessando a minha dúvida. Mas infelizmente, isso não ocorreu, pelo menos, não explicitamente, talvez tenha passado despercebido pela minha leitura desatenta, mas não estou com ânimo para rever essas páginas e analisar esta situação.
Enfim, com a realidade aos meus olhos, posso enxergar com clareza, toda a história que foi lida com tanta tristeza sentida a cada página virada. Mas, apesar de toda a dor que tal leitura me causou, consegui ler até o último ponto final. E ainda pude caminhar até a biblioteca e entregá-lo, apesar de ainda estar pagando pelo seu preço alto. Por causa disso tudo, eu não quero ler este livro nem ao menos ver a sua capa, nunca mais.

Sunday, May 21, 2006

Olhe para as águas

Você poderá ver o seu reflexo ou as profundezas do oceano. A escolha é sua.

Wednesday, May 17, 2006

Futilidades do ser humano

Será que a aparência externa de uma pessoa é tão importante a ponto de decidir um relacionamento amoroso?Para muitas pessoas, a resposta é sim. Na verdade, estatisticamente comprovado, para a grande maioria isso é um ponto decisivo na escolha de um futuro relacionamento, apesar de ser difícil para mim, compreender tal coisa. Aliás, para mim, é difícil compreender várias coisas que para os outros é “super natural”. Se pararmos para observar tal fato, veremos que não existe (ou muuuuuito difícil) uma pessoa extremamente linda se relacionar com uma pessoa extremamente feia! Geralmente ocorre um equilíbrio entre as partes. É impressionante! Apesar de, não concordar com tais atitudes, tenho que admitir que isso ocorre com muita freqüência. O mesmo se aplica para diferenças em classes sociais, ou mesmo intelectuais. Eu não entendo...O que você ganha se interessando apenas por mulheres ou homens bonitos??? Por que o ser humano não consegue enxergar o interior de cada pessoa? Eu sei que muitos devem estar pensando, que esse papo de “enxergar o interior das pessoas” é tudo uma grande palhaçada! Mas talvez essa seja a resposta para a depressão que tanto afeta a maioria das pessoas, na qual nunca conseguem se sentir realizadas. Podem ter dinheiro, realização profissional, família entre outros, mas nada disso basta. Porque não conseguem enxergar o interior de nada na vida. Sempre uma máscara de aparências.
Já refleti por horas tentando chegar a uma conclusão plausível sobre esse assunto, mas ainda está sendo difícil analisar os porquês. Mas possuo alguns questionamentos acerca do assunto: Será que as pessoas procuram sempre outras pessoas bonitas por causa de “sexo” ou somente pelo simples fato de mostrar aos outros o seu parceiro? Acho que, se for essa a resposta seria a coisa mais estúpida que alguém possa pensar. Se alguém souber uma outra resposta, por favor, me digam, porque está muito difícil tal compreensão.Pior é quando a pessoa cria um “tipo padrão” para a sua escolha, isso sim, é o auge da estupidez. Eu odeio quando alguém têm a capacidade de dizer que “fulano não faz o meu tipo”, é ridículo!!! Mesmo que seja um biótipo psicológico! Tudo bem, você ter afinidades psicológicas, mas deixar de se envolver com alguém porque simplesmente não faz o “meu tipo”, para mim, é o fim!Por causa disso, a pessoa parece que permanece numa espécie de “trava”! Será que as pessoas são tão superficiais assim? Tão fúteis...

“Gosto apenas de homens louros, altos, malhados, bronzeados, de olhos azuis, blá, blá, blá...” Atenção, frizem bem o malhado, não serve aquele magrelo, que usa óculos, que nunca viu um sol na vida, anda meio desarrumado e têm cara de esquisito! Isso não vale! Esses eu não quero. Por favor, quero aqueles de novela, ou capa de revista da Caras! Ah! se tiver dinheiro, melhor ainda, e carro de preferência. Eu preciso sair, e ele tem que me levar e pagar os meus gastos. Acho que se for burro, eu até agüento! É só não abrir a boca e mostrar seu sorriso e sua carteira linda...

Ai meu Deus...Esse mundo está completamente perdido!